27 February 2021
O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, Porto, 12 de março de 2016. FERNANDO VELUDO / LUSA

O português é o “ativo mais importante” dos países de expressão portuguesa

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, defendeu hoje que o português é o “ativo mais importante” de Portugal e dos países de expressão portuguesa, sublinhando que deve ser promovido como uma das grandes línguas mundiais.

“O valor acrescentado mais importante, o ativo mais importante de Portugal é a sua língua. A língua portuguesa é agora uma das mais faladas no Mundo, é uma língua global, falada em todos os continentes”, destacou hoje o governante em Lisboa, na abertura da conferência internacional da EAQUALS (Evaluation & Accreditation of Quality in Language Services), associação internacional de instituições e organizações envolvidas na promoção da qualidade do ensino de línguas, da qual o Camões IP é membro associado desde 2013.

Perante uma plateia de cerca de 270 participantes, de 39 países, Santos Silva referiu que, em todo o mundo, cerca de 250 milhões de pessoas falam português como língua materna.

“É um recurso muito importante, que não pertence só a Portugal mas a todos os países de língua portuguesa, ou seja, Portugal, na Europa; Brasil, na América Latina; Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Cabo Verde, em África, e Timor-Leste, na Ásia”, mencionou o ministro, apontando também que “facilmente se encontram comunidades que falam português fora destes países”, nomeadamente em países como Indonésia, Reino Unido, Estados Unidos, Venezuela, Malásia ou Singapura.

Além disso, acrescentou, “os nove países onde o português é língua oficial representam uma parte muito importante do mundo”, numa referência aos membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP – Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste).

O português deve ser promovido enquanto língua materna, mas também como língua de herança: “É muito importante para a diáspora, [os lusodescendentes] têm de manter o contacto com a língua dos seus pais ou avós”, considerou Santo Silva, adiantando que o português é importante para promover a compreensão entre povos em países com multilinguismo, como Cabo Verde, Moçambique ou Angola.

Para o ministro, o português deve ser promovido “como uma língua de comunicação, de cultura, de artes, de literatura, de negócios, de organizações internacionais”.

“Devemos trabalhar juntos porque necessitamos de uma ou, preferencialmente, duas ou três grandes línguas internacionais. É o caso do inglês, do espanhol, do mandarim, do árabe e também o português”, sublinhou o chefe da diplomacia portuguesa.

“Mas também temos de ensinar e aprender todas as línguas que pudermos”, defendeu Santos Silva, que considerou também que, ao promover-se o multilinguismo, se promove “o multiculturalismo e a compreensão entre as pessoas”.

“Quando deixamos as línguas desaparecer, tornamo-nos pobres. O empobrecimento do mundo não é só económico, mas também cultural e linguístico”, avisou.

Fonte: Notícias ao Minuto

 

Também poderá gostar

Sem comentários

ARTIGOS POPULARES