Luanda, 07 nov 2022 (Lusa) – Um novo poço de petróleo foi descoberto no Bloco 15, localizado a cerca de 365 quilómetros a noroeste da costa de Luanda, anunciaram o Governo angolano, a ExxonMobile Angola e restantes parceiros do bloco petrolífero.

De acordo com um comunicado da Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG) a nova descoberta foi feita no poço de exploração Bavuca Sul-1, que faz parte do projeto de redesenvolvimento do Bloco 15.

No documento salienta-se que o poço encontrou 30 metros (98 pés) de arenito de alta qualidade contendo hidrocarbonetos, tendo sido perfurado através de uma lâmina de água de 1.100 metros (3.608 pés) pelo navio de perfuração Valaris DS-9.

“Na qualidade de operadora do Bloco, a ExxonMobil está a implementar novas tecnologias e um programa de perfuração plurianual, prevendo produzir cerca de 40.000 barris de petróleo por dia, que irão contribuir para compensar os declínios naturais de produção”, refere-se na nota.

No Bloco 15, foram feitas anteriormente 17 descobertas, nomeadamente Hungo, Kissanje, Marimba e Dikanza, em 1998, Chocalho e Xikomba, em 1999, Mondo, Saxi e Batuque, em 2000, Mbulumbumba, Vicango e Mavacola, em 2001, Reco-Reco em 2002, e Clochas, Kakocha, Tchihumba e Bavuca, em 2003.

O presidente do conselho de administração da ANPG, Paulino Jerónimo, citado no comunicado, congratulou-se com esta descoberta e com o seu significado.

“Angola continua, de facto, a ter potencial petrolífero e a ANPG e os seus parceiros tudo continuarão a fazer para que este seja um setor produtivo e rentável”, frisou.

Por sua vez, o Presidente da ExxonMobil Upstream Company, Liam Mallon, destacou que a multinacional norte-americana está a otimizar este recurso e a criar valor para o povo angolano, para o Governo de Angola, para os seus parceiros e para os seus acionistas”.

Liam Mallon realçou que a estratégia de desenvolvimento da ExxonMobil continua a produzir resultados positivos, fornecendo energia a preços acessíveis para satisfazer a crescente procura mundial de energia, ao mesmo tempo que reduziram as suas emissões.

“Em Angola, desde 2016, já reduzimos as emissões de gases com efeito estufa até 74%”, indicou.

A Esso Exploration Angola (Block 15) Limited, filial da ExxonMobil, é a operadora do Bloco 15 com uma participação de 36%.

A BP Exploration (Angola) Limited detém 24%, a ENI Angola Exploration B.V. detém 18%, a Equinor Angola Block 15 A.S. detém 12% e a Sonangol P&P detém 10%.

NME // VM

Lusa/Fim

Partilhar