6 March 2021
Além de Nova Sintra, Cabo Verde tem como Património Cultural Nacional a Ribeira Grande de Santiago (Cidade Velha), elevada pela UNESCO a mundial em 2009, Tarrafal de Santiago, Tarrafal de São Nicolau, Ribeira Brava de São Nicolau, Pedra Lume (ilha do Sal) e o centro histórico da Cidade da Praia, conhecido por "Plateau".

Nova Sintra elevada a Património Nacional de Cabo Verde

A cidade de Nova Sintra, na ilha cabo-verdiana da Brava, vai ser elevada quinta-feira a Património Nacional e tornar-se-á, um dia depois, a primeira “capital da Cultura” de Cabo Verde, refere hoje uma nota do Governo.

A iniciativa insere-se nas comemorações do Dia Nacional da Cultura, cujo ato central vai decorrer na também conhecida por “ilha das flores” e que será oficialmente marcado pela instituição do projeto “Capital Cabo-Verdiana da Cultura”.

Segundo o comunicado do Governo, a Brava foi simbolicamente escolhida para “capital cabo-verdiana da cultura” por aí ter nascido um dos maiores poetas, escritores e jornalistas do arquipélago, Eugénio Tavares (1867/1930).

“Pelo seu simbolismo, Nova Sintra será a primeira capital cabo-verdiana da cultura, em memória de Eugénio Tavares. A partir deste ano, as outras sedes serão escolhidas mediante concurso”, escreve-se na nota.

“Uma capital da cultura será, igualmente, um fator decisivo de qualificação da oferta turística, tanto para estrangeiros como também para nacionais. Trata-se de um estímulo forte para os cabo-verdianos conhecerem esse pedaço do país que, pelo período de um ano, assume esse estatuto”, acrescenta-se na nota.

O ato será presidido pelo primeiro-ministro cabo-verdiano, José Maria Neves, na presença do ministro da Cultura, Mário Lúcio.

A Brava, com 67 quilómetros quadrados (10, 5 quilómetros de comprimento por 9, 2 de largura, arredondada e com o ponto mais alto situado a 976 metros), é uma ilha e concelho do Sotavento cabo-verdiano (a mais a sudoeste do arquipélago) e a maior localidade é precisamente Nova Sintra.

A menor das nove ilhas habitadas do arquipélago (5.995 habitantes, segundo o Censo de 2010), foi descoberta por Diogo Afonso, escudeiro do infante D. Henrique em 1461 ou 1462, mas só começaria a ser povoada pelos portugueses no século XVI, altura em que se denominava São João, que ainda hoje é padroeiro do concelho.

Devido ao aspeto florido, contrastando com a aridez do arquipélago, ainda se ponderou alterar o nome para Flores, mas acabou por vingar Brava, tendo em conta o estado selvagem em que se encontrava e o mar revolto que dificultava a chegada à ilha.

JSD // PJA – Lusa/Fim

Foto: Centenas de pessoas receberam os jogadores e a equipa técnica da seleção Nacional de Cabo Verde “Tubarões Azuis”, Cidade da Praia, Cabo Verde, 05 de fevereiro de 2013. JOSE MARIA BORGES / LUSA

Também poderá gostar

Sem comentários