A professora de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa, que hoje falará em Lisboa na abertura do colóquio internacional sobre literaturas africanas de língua portuguesa, disse à agência Lusa que «o grande problema é uma coisa chamada gueto».

«Nós precisamos de, no espaço da língua portuguesa, nos juntarmos, criar uma rede, para que não tenhamos gueto. Quem nunca leu Camões? Eu fui formada lendo Camões. Camões é meu poeta! Assim como eu tenho certeza que Drummond e Manuel Bandeira são poetas aqui, de Portugal, e angolanos, e cabo-verdianos», defende.

 

FONTE: Diário Digital / Lusa

Fonte da Imagem

Partilhar