27 February 2021
"Não tem havido circulação de bens culturais" no espaço da língua portuguesa - escritora Odete Semedo

Não faz sentido uma “literatura da lusofonia”

Lisboa, 14 jul (Lusa) — Não se pode falar de África nem de africanos e, portanto, também não faz sentido uma “literatura da lusofonia”, defende a escritora guineense Odete Semedo, lamentando a falta de “circulação de bens culturais” no espaço do português.

Presente no colóquio internacional “Percursos, trilhos e margens: receção e crítica das Literaturas Africanas em Língua Portuguesa”, que decorre no pólo de Lisboa do Centro de Estudos Sociais (CES), hoje e sexta-feira, Odete Semedo disse à Lusa que “não se pode arrumar tudo numa gaveta e dizer ‘isto é a literatura da lusofonia'”, porque “cada país é um país”, com “várias facetas” e “a sua memória coletiva”.

A “força” de partilhar uma língua “não está na fusão das literaturas, mas na circulação das obras dos autores que escrevem em português e na “coordenação de ações”, contrapõe. E nisso têm falhado editoras e instituições governamentais, afirma, explicando que os autores divulgam os seus trabalhos entre si, nos encontros que mantêm.

 

FONTE: DN

Também poderá gostar

Sem comentários