25 February 2021
Arrozais do Baixo Mondego. Montemor-o-Velho, 25 de março de 2013. PAULO NOVAIS / LUSA

Mondego é ponto de partida para encontro literário (10 e 11 de outubro de 2015)

Munda lusófono
O rio Mondego já era citado por viajantes e historiadores, na época dos romanos, que lhe chamavam Munda. Na Idade Média, o rio, que todos diziam ser belo e rico, manteve o nome.
Munda significa transparência, claridade e pureza. O Mondego é, por certo, o rio português mais “cantado” por poetas e escritores. Desde Sá de Miranda, a Camões, Eugénio de Castro, Miguel Torga ou a António Nobre e perpetuado também pela voz de músicos como José Afonso.
O Mondego é, assim, o ponto de partida para uma viagem pela Literatura de Língua Portuguesa espalhada pelos vários continentes. Corrente de palavras, sons e imagens a navegarem até ao concelho de Montemor-o-Velho, onde aportarão escritores, ilustradores, artistas plásticos, contadores de histórias e músicos de várias nacionalidades e culturas a uma só língua.

“Munda Lusófono – 2º Encontro Literário de Montemor-o-Velho” é um evento organizado pela Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, através da Biblioteca Municipal Afonso Duarte, com a coordenação da escritora montemorense Lurdes Breda, que irá decorrer, no concelho de Montemor-o-Velho (Portugal), nos dias 10 e 11 de outubro de 2015.oficiais, associações e empresas.

Este encontro, de caráter multidisciplinar, abrange, para além da literatura, a ilustração, as artes plásticas, a música e o teatro. É, por isso, dirigido a escritores, ilustradores, artistas plásticos, contadores de histórias, músicos, atores e a público em geral.
A pretexto da Literatura, e ao longo dos dois dias, pretende-se  dar a conhecer o património histórico, arquitetónico, paisagístico e gastronómico do concelho de Montemor-o-Velho através de um programa diversificado.
Esta segunda edição do “Munda Lusófono” contará com a presença dos autores Afonso Reis Cabral (escritor de Portugal, Prémio Leya 2014), Rachel Caiano (ilustradora de Portugal), Lopito Feijó (escritor de Angola), Goretti Pina (escritora e criadora de moda de São Tomé e Príncipe), Isabel Rei Samartim (Associação Cultural Pró-Academia Galega de Língua Portuguesa da Galiza), Jorge Serafim (humorista e contador de histórias de Portugal), Izadora Valladares (editora do Brasil) e Angela Feingold (presidente da Academia de Letras e Artes de Fortaleza, no Brasil).
Este evento será constituído por diferentes ações que, embora autónomas, se complementarão entre si. Terá início na tarde do dia 10 de outubro, com um “Especial Freguesias”, que contemplará as onze freguesias do concelho de Montemor-o-Velho, envolvendo as juntas de freguesia e algumas associações culturais, com programas variados e, em muitos casos, simultâneos, que passarão por lançamentos e apresentações de livros (infantis, prosa e poesia), tertúlias, sessões com escritores e ilustradores, exposições, narração de histórias, etc. Todas estas atividades serão enriquecidas pela participação de artesãos, artistas e autores locais.
Arrozais do Baixo Mondego. Montemor-o-Velho, 25 de março de 2013. PAULO NOVAIS / LUSA

Arrozais do Baixo Mondego. Montemor-o-Velho, 25 de março de 2013. PAULO NOVAIS / LUSA

Também poderá gostar

Sem comentários

ARTIGOS POPULARES