Lisboa, 28 set (Lusa) – Moçambique é o sexto país menos competitivo dos 138 analisados no ranking mundial da competitividade do Fórum Económico Mundial, hoje divulgado, e mantém a mesma posição que tinha no ano passado.

De acordo com dados do Relatório Global de Competitividade (2016-2017) do Fórum Económico Mundial, hoje divulgado, apesar de Moçambique manter a mesma posição, o país obteve menos pontos, descendo de 3, 20 para 3, 13 pontos, num índice que avalia 12 pilares, incluindo educação, ambiente macroeconómico, mercado financeiro ou inovação, com uma classificação de 1 a 7.

Os pilares em que Moçambique surge mais bem classificado são o da eficiência do mercado de trabalho (98.ª posição) e o da dimensão do mercado (102.ª), e os piores setores são o da educação superior e formação (135.ª), assim como a Saúde e Educação primária (134.ª).

Segundo o Inquérito de Opinião dos Empresários, realizado junto de mais de 14 mil líderes empresariais em matérias relacionadas com a competitividade nacional, os fatores percecionados como mais problemáticos quando se faz negócios com Moçambique são a corrupção (15, 5%), a instabilidade das políticas (12, 3%) e o acesso ao financiamento (12, 2%).

Com 138 países analisados, o índice mundial de competitividade é liderado pela Suíça, com 5, 81 pontos, Singapura (5, 72) e Estados Unidos (5, 70).

Entre os últimos surgem o Iémen (2, 74 pontos), a Mauritânia (2, 94) e o Chade (2, 95).

O Relatório Global de Competitividade (2016-2017) do Fórum Económico Mundial é hoje apresentado em Lisboa pela PROFORUM, Associação para o Desenvolvimento da Engenharia, e pelo FAE, Fórum de Administradores e Gestores de Empresas, numa sessão pública na AESE Business School.

A PROFORUM, a FAE e a AESE realizam em Portugal o Inquérito de Opinião dos Empresários para o WEF – World Economic Forum.

FPA // VM – Lusa/Fim
Veja:
  • Índice mundial de competitividade

mocambique-gas-e-petroleo

Foto extraída do sítio da Anadarko

 

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar