4 March 2021
Os governos de Moçambique e do Brasil assinaram hoje em Maputo quatro acordos de cooperação, incluindo um para a facilitação de vistos de negócios, visando dar maior impulso às parcerias empresariais entre os dois países.

Moçambique e Brasil assinam acordos de cooperação empresarial

Os convénios foram assinados pelo ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique, Oldemiro Baloi, pelo ministro de Estado das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, e pelo ministro de Estado do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, também do Brasil.

Além do acordo atinente à área de facilitação de vistos para homens de negócios, os dois governos rubricaram entendimentos nos domínios das energias renováveis, promoção de investimentos e facilitação de comércio e investimentos e cooperação técnica.

Falando após a assinatura dos acordos, o ministro moçambicano dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique afirmou que os mesmos testemunham as excelentes relações de cooperação bilateral e constituem uma base para o seu alargamento.

“O desafio que temos é ampliar as relações de amizade e aqui entra a componente empresarial, porque as oportunidades na cooperação empresarial são infinitas”, afirmou Oldemiro Baloi.

Baloi destacou que os acordos foram rubricados numa altura em que Moçambique passa por uma dinâmica interessante ao nível de oportunidades de negócios, com possibilidades de investimento em vários setores.

Por seu turno, o ministro de Estado das Relações Exteriores do Brasil afirmou que as oportunidades de cooperação bilateral no campo empresarial são enormes, defendendo a importância dos acordos hoje assinados no fluxo de investimentos entre os dos países.

“Os acordos hoje assinados são o espelho da qualidade que pretendemos na cooperação empresarial, nomeadamente ao estar prevista a facilitação de vistos para homens de negócios que pretendem investir a longo prazo”, frisou Mauro Vieira.

O Brasil, através da Vale, tornou-se nos últimos anos num importante investidor em Moçambique, com a participação da companhia brasileira na exploração do carvão de Moatize, na província de Tete, centro do país.

Problemas logísticos associados à incapacidade de escoamento do carvão e a redução do preço de carvão no mercado internacional têm feito com que a Vale acumule prejuízos no seu projeto em Moçambique.

PMA // EL -Lusa/Fim

Fotos:

– ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira (D), durante a reunião com o homólogo de Moçambique, Oldemiro Baloi (E), em Maputo, Moçambique, 30 de março de 2015. ANTÓNIO SILVA/LUSA

Também poderá gostar

Sem comentários