Tomo a liberdade de postar, a seguir, uma das cinco vídeo aulas que formam a “Maratona Saramago”, projeto da Academia Mineira de Letras em parceria com o Centro de Estudos Luso Afro Brasileiros da Puc Minas e com o ótimo grupo de pesquisa da excelente professora Vera Lopes.
Tomara que gostem!
E viva Saramago, no centenário de seu nascimento!


O professor Mateus Roque da Silva apresenta, “História do cerco de Lisboa”, dedicada à análise do romance História do cerco de Lisboa, de José Saramago.

A obra, originalmente publicada em 1989, possui um enredo sui generis: um revisor de textos, Raimundo Benvindo Silva, além de exercer sua função convencional, decide (re) escreve a história de Portugal, alterando-a, em uma espécie de vislumbre que anseia alcançar uma totalidade histórica. A partir desse gesto, em um tempo histórico fluido, o narrador saramaguiano tensiona as “Lisboas” do século XX, presente da narração, e XII, mais precisamente o ano de 1147, quando os portugueses, auxiliados pelos cavaleiros cruzados, reconquistam a cidade que, até então, mantinha-se sob o domínio muçulmano.

O cenário de cerco, no entanto, ajuda a compor uma série de outras relações conflituosas, das quais destacam-se as tensões amorosas entre os casais Raimundo Silva e Maria Sara, Mogueime e Ouroana, os pares contemporâneos e medievais. Contudo, para além dessa construção narrativa em dois planos temporais, o autor português também evidencia em sua composição poética os múltiplos diálogos, em seu aspecto teórico-metodológico, estabelecidos com a tradição historiográfica ocidental, sobretudo a partir das contribuições de Karl Marx e Georges Duby, isto é, a partir das noções de História Total e do imaginário como componente do discurso histórico.

 

 

The following two tabs change content below.
Avatar photo

Rogério Faria Tavares

Rogério Faria Tavares nasceu em Minas Gerais, Brasil, em 1971. É jornalista, mestre em Direito Internacional e Doutor em Literatura. Tem o Diploma de Estudos Avançados em Direito Internacional e Relações Internacionais pela Universidade Autônoma de Madri. Está no segundo mandato como presidente da Academia Mineira de Letras. É membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, do Instituto dos Advogados Brasileiros e do Pen Clube do Brasil.
Partilhar