A mesma fonte explicou, também, que a Venezuela atingiu um novo máximo superior a 230.000 unidades dos computadores produzidos no país.

“Superámos as estimativas previstas com mais de 2, 4 milhões de portáteis já distribuídos e também batemos recorde com mais de 230 mil ‘cainamitas’ produzidos na Venezuela”, disse a fonte que insistiu em vincar a importância do acordo de cooperação bilateral assinado entre Caracas e Lisboa.

Por outro lado, em declarações aos jornalistas, Manuel Fernández, presidente da empresa estatal Companhia Anónima Telefones da Venezuela (Cantv), a principal operadora telefónica do país, revelou que ao longo de 2013 Caracas prevê “produzir mais de meio milhão destes computadores”.

Segundo aquele responsável, os computadores foram distribuídos aos alunos do ensino básico, mas o objetivo do projeto Canaima é atingir também outros níveis de escolaridade, prevendo-se que em abril comecem a ser entregues os portáteis aos alunos do secundário.

“Um computador numa casa é uma mudança, é um movimento em frente e uma oportunidade que se abre não só para os que estão a estudar, mas para toda a família”, disse, sublinhando que o objetivo é fechar colmatar a falha tecnológica não só dos jovens como dos núcleos familiares.

FPG // JCS – Lusa/fim

Foto: Dia 24 de outubro de 2010. O ex-Presidente da Venezuela, Hugo Chavez saúda crianças que usam o computador Magalhães. JOSE COELHO / LUSA

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar