“A administração da Imprensa Nacional-Casa da Moeda, S.A. (INCM) e a direcção executiva do Grupo Almedina assinaram ontem, dia 26.01.2012, um memorando de entendimento que possibilitará a reabertura, ainda no decurso do corrente semestre, da Livraria Camões, no Rio de Janeiro”, informou o comunicado.

Segundo a nota, a Livraria Camões será reaberta “com um novo modelo de funcionamento”.

“O encerramento da Livraria, nos moldes actuais, verificar-se-á, como anunciado, no próximo dia 31 de Janeiro, cessando, deste modo, a operação directa da INCM no mercado brasileiro”, referiu o comunicado.

Segundo a nota, “nos termos do acordo celebrado, o espaço da Livraria vai ser remodelado e dotado de novas funcionalidades, cabendo, a sua exploração ao grupo Almedina e à INCM a disponibilização do espaço”.

“A INCM e o Grupo Almedina assumem ainda a intenção de estudar parcerias de âmbito editorial com vista à edição, promoção e comercialização no Brasil de ambos os catálogos, criando-se desta forma condições para reforçar a presença da cultura e da língua portuguesa no Brasil”, sublinhou ainda a nota.

O anunciado encerramento da Livraria Camões, em Janeiro, provocou uma onda de protestos entre académicos, professores, intelectuais, estudantes e outros frequentadores da loja no Brasil.

Para reforçar o protesto, professores e investigadores reuniram-se na sede da livraria, no dia 18 de Janeiro, e prestaram sua solidariedade ao representante da loja, o português José Estrela.

 

Ler o artigo completo (Público)

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar