Lisboa, 21 mai 2021 (Lusa) – Isabela Figueiredo, Mia Couto e Patrícia Portela são alguns dos autores de língua portuguesa que participarão este mês num festival literário da Feira do Livro de Leipzig, na Alemanha, adiada para 2022 por causa pandemia.

Portugal seria o país convidado da Feira do Livro de Leipzig 2021, mas só o será verdadeiramente na edição de 2022, pelo que, em alternativa, a organização decidiu fazer uma programação especial, com iniciativas literárias presenciais na cidade e também ‘online’, nos dias 27 a 30 de maio.

O instituto Camões anunciou hoje que Afonso Reis Cabral, Isabela Figueiredo, Patrícia Portela e José Luís Peixoto vão a Leipzig para participar na iniciativa “Portugal Lê – Um olhar sobre o país convidado 2022”, com apresentação de livros publicados recentemente na Alemanha.

Estes quatro autores viram obras apoiadas pelo programa especial para editoras em língua alemã criado pelo Camões e pela Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB). No mesmo programa foram abrangidas obras de outros autores como Margarida Vale de Gato, Gonçalo M. Tavares e Dulce Maria Cardoso.

No programa de encontros literários à distância, ‘online’, estarão a poetisa portuguesa Ana Luísa Amaral, que apresentará “What’s in a name”, o escritor moçambicano Mia Couto, a propósito da tradução alemã de “As areias do imperador”, o cabo-verdiano Germano Almeida, pelo romance “O fiel defunto”, e o angolano Ondjaki, pela coletânea de contos “Sonhos azuis pelas esquinas”.

A tradutora Maralde Meyer-Minnemann falará sobre a recente tradução de “Até que as pedras se tornem mais leves que a água”, de António Lobo Antunes, o editor guineense Abdulai Sila conversará sobre o mercado literário da Guiné-Bissau, e a historiadora Irene Pimentel participará num debate sobre o acolhimento de judeus em Portugal durante a II Guerra Mundial.

Será dado ainda destaque à escritora portuguesa Maria Gabriela Llansol, que, com o livro “Lisboaleipzig – O Encontro Inesperado do Diverso”, “construiu uma ponte entre estas duas cidades e duas grandes figuras da cultura europeia a elas associadas – Fernando Pessoa e Johann Sebastian Bach”.

A 29 de janeiro deste ano foi anunciado o cancelamento da Feira do Livro de Leipzig deste ano, e ficou a saber-se que, apesar disso, as instituições portuguesas e alemãs envolvidas continuavam a colaborar no sentido de avançar com a publicação de mais de 50 obras de autores de língua portuguesa, traduzidos para alemão.

“Os livros dão a conhecer a história e o presente de Portugal e dos países de língua portuguesa – desde a história colonial em África a Portugal como país de exílio e trânsito durante a Segunda Guerra Mundial, passando por questões atuais como o corpo, a transexualidade e fronteiras”, afirmou hoje Ana Patrícia Severino, curadora do programa, citada no comunicado do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua.

SS/(AL) // MAG – Lusa/Fim

Partilhar