4 March 2021
A Câmara Municipal de Loulé vai distribuir 50 exemplares da obra “Retábulos nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa” a cada embaixada na expetativa que os mesmos possam chegar aos centros de ensino e que possam vir a revelar-se úteis para professores e alunos, particularmente para os ligados às áreas da História e das Artes

Lançamento do livro “Retábulos nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa”

Perante a presença do secretário executivo da CPLP, da embaixadora da República de Cabo Verde, dos embaixadores de São Tomé e Príncipe, Angola e Moçambique, e ainda do cónego César Chantre, em representação do Bispo do Algarve, o presidente da Câmara Municipal de Loulé, Vítor Aleixo, esteve na passada segunda-feira em Lisboa, na sede da CPLP, para apresentar e divulgar o livro “Retábulos nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa”, da autoria de Francisco Lameira e João Canha e Sá. 
O docente da Universidade do Algarve e um dos autores da obra, Francisco Lameira, esteve também presente nesta cerimónia para fazer a explicação do trabalho desenvolvido neste projeto editorial de promoção e difusão da cultura portuguesa, sobre uma modalidade artística que desempenhou simultaneamente um importante papel religioso e que, por outro lado, reforça os laços de união entre os povos, servindo de incentivo à preservação e consolidação deste espólio patrimonial. 
Segundo o presidente da Autarquia, este lançamento “não é fruto do acaso mas uma oportunidade para evidenciar o quanto está a ser feito em prol da cultura e da valorização do património civil e religioso” pelo executivo. “A preservação do património deve ser parte integrante dos nossos deveres, não apenas enquanto cidadãos mas também enquanto responsáveis políticos”, sublinhou Vítor Aleixo.
Por outro lado, o autarca referiu a importância do livro para a difusão da língua comum aos países mas também como uma “oportunidade de poder contribuir para o estreitamento dos laços de amizade com os países africanos de língua oficial portuguesa, através das suas representações oficiais”. 
Nesse sentido falou das geminações que a Autarquia de Loulé celebrou com municípios de países africanos, nomeadamente Boa Vista (Cabo Verde), Bissorã (Guiné Bissau) e, em curso, Benguela (Angola), que permitiram uma “cooperação recíproca” ao longo dos anos. Para o autarca os acordos de geminação constituem “a internacionalização das cidades, no sentido em que buscam novos horizontes e projetam ambições com vista ao seu desenvolvimento económico”. 
A par das questões dos acordos de geminação e do apoio a divulgação de outras obras ligadas aos países africanos de língua oficial portuguesa, Vítor Aleixo manifestou a abertura da Autarquia de Loulé para abraçar outros projetos que envolvam estes povos. Neste momento, por exemplo, está a ser desenvolvido um trabalho escultórico legado pela artista plástica Teresa Gama e que irá embelezar a cidade de Loulé.

Fonte: http://www.regiao-sul.pt/noticia.php?refnoticia=149190

Também poderá gostar

Sem comentários