Definido por Fernando Pessoa como o “imperador da língua portuguesa”, exaltado por José Saramago, que afirmou que “a língua portuguesa nunca foi mais bela que quando a escreveu esse jesuíta” e considerado, ao lado de Camões, peça fundamental para a formação e o desenvolvimento da nossa língua.

Esse é o padre António Vieira, religioso e escritor português — entre outras tantas ocupações — nascido em Lisboa no início do século 17, mas que passou boa parte de sua vida no Brasil.

No último dia 9 de fevereiro, as Edições Loyola lançaram a Obra Completa do Padre António Vieira na Academia Paulista de Letras, no centro de São Paulo. Sonhado há mais de um século “por diferentes gerações de estudiosos da língua e da cultura portuguesa de várias nacionalidades”, o projeto foi dirigido por José Eduardo Franco e Pedro Calafate, ambos da Universidade de Lisboa. Contando com a colaboração de mais de 50 renomados especialistas do país luso e do Brasil, demandou cerca de uma década de “intensa investigação científica”, segundo comunicado da editora. Ler o artigo completo.

Leia também:

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar