6 March 2021
Joaquim Chissano, antigo Presidente moçambicano, Maputo, 20 de junho de 2015. ANTÓNIO SILVA/LUSA

Joaquim Chissano distinguido com o Prémio Norte-Sul 2015

Joaquim Chissano, presidente de Moçambique entre 1986 e 2005, “é reconhecido pelo seu contributo para o reforço democrático em África e o seu envolvimento na procura da resolução pacífica de conflitos em diferentes zonas do continente”.
 
 O antigo Presidente moçambicano Joaquim Chissano e a ativista grega Lora Pappa, responsável de uma organização de apoio a refugiados, são os laureados do Prémio Norte-Sul 2015 do Conselho da Europa.O prémio é atribuído anualmente a duas personalidades, uma oriunda do Norte e outra do Sul, “que se destacaram no plano internacional pela sua acção em prol da defesa dos direitos humanos e da democracia, contribuindo para um mundo mais interdependente e solidário”, divulgou hoje o Centro Norte-Sul, organismo do Conselho da Europa, com sede em Lisboa, informa a agência Lusa.

As distinções serão entregues pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no dia 30 de Junho, numa cerimónia na Assembleia da República.

De acordo com o organismo, Joaquim Chissano, Presidente de Moçambique entre 1986 e 2005, “é reconhecido pelo seu contributo para o reforço democrático em África e o seu envolvimento na procura da resolução pacífica de conflitos em diferentes zonas do continente, nomeadamente na sua qualidade de enviado especial da Organização das Nações Unidas”.

Chissano é o rosto de “um conjunto de mudanças socioeconómicas que transformaram Moçambique e é responsável pela primeira Constituição do país, datada de 1990”, além de pertencer aos Conselhos Consultivos de diversas organizações internacionais, incluindo as Nações Unidas. Ler o artigo completo (Portugal Digital)

Também poderá gostar

Sem comentários

ARTIGOS POPULARES