O EDUCARE.PT quis saber de que forma a escola marcou a vida de diferentes personalidades em diversas áreas da sociedade.
Desafiámos a ministra da Educação, Isabel Alçada, a viajar no tempo e a recuperar as suas memórias de aluna, mas também a tentar identificar o momento, ou o professor, que tenha influenciado as suas opções de vida.

Colocámos duas questões:
1. Que memórias guarda do seu percurso enquanto aluna?
2. Houve algum momento, ou professor, que, durante o seu percurso escolar, tenha influenciado as opções que tomou em relação à sua vida profissional?


Eis as “Memórias de Passagem” da ministra da Educação:

Guardo muitas e boas memórias, pois tenho a sorte de me lembrar com facilidade de acontecimentos positivos e de não recordar acontecimentos negativos.
Fiz todo o ensino primário e secundário no Liceu Francês em Lisboa. Havia turmas de meninas e de rapazes, mas à exceção do ensino secundário, em que as turmas eram mistas, só convivíamos na camioneta.
Do tempo de escola as melhores recordações são, naturalmente, o convívio com colegas.
Mas cedo descobri o lado bom das aulas. Recordo a alegria de compreender um assunto novo, de resolver um problema de Matemática, de conseguir executar bem uma atividade escolar ou de receber um teste com nota alta. Na minha família era voz corrente que eu gostava da escola e de aprender. Tinham razão.
No ensino primário a semana era sempre variada pois alternava aulas em português, dadas por uma professora portuguesa, com aulas em francês, dadas por uma professora francesa.
Em Português, a minha turma foi entregue a uma professora inesquecível – Alice Gomes. Além de professora, era autora de livros para crianças e tinha muitas obras publicadas. Fazia questão de levar as suas alunas à biblioteca escolar, de ler livros completos na sala de aula, de conversar sobre histórias e poemas e de nos dar tempo de aula para escrevermos as nossas histórias.
Por vezes, lia em voz alta um ou outro texto escrito pelas alunas, mas nunca dizia quem era a autora. Graças ao seu empenho e entusiasmo transmitiu-me o prazer de ler e de escrever. Marcou-me para sempre.
Uma das disciplinas que sempre me fascinou foi História. A professora, Maria Ângela Miguel, era fantástica. Narrava os acontecimentos com uma serenidade muito delicada, mas tão intensa e convicta que captava totalmente a minha atenção. Fazia-me viajar no tempo e conhecer as personagens históricas, como se os pudesse ver em ação a mudar o destino da humanidade.
Marcou-me para sempre.

 

FONTE: Educare.pt

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar