Num comunicado divulgado hoje à noite, o Ministério das Relações Exteriores de Cabo Verde congratula-se com a nomeação do académico cabo-verdiano, manifestando-lhe o “apoio incondicional” do Governo no exercício das funções no executivo da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO).

Barreto da Rosa e os demais comissários nomeados vão reforçar a atual Comissão da CEDEAO, formada agora por 15 personalidades, o que permite que todos os Estados-membros da organização oeste-africana estejam representados no executivo, no quadro da decisão de alargamento acordado pelos Chefe de Estado e de Governo, em julho de 2013.

Licenciado em Informática, pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, e Mestre em Desenvolvimento da Gestão, pela Escola de Gestão Euro-Árabe de Granada (Espanha), Barreto da Rosa é também Mestre (DEA) e doutor em Educação e Desenvolvimento Humano, pela Universidade de Santiago de Compostela.

O novo comissário é também instrutor Cisco para os cursos CCNA e IT Essentials na University of Central England (Inglaterra) e na PE Technikom (África do Sul). Já foi Analista Programador do Centro de Estudos de Problemas de Informação da Universidade Católica Portuguesa e da Cabosoft, SA, onde foi administrador.

Entre 2001 e 2006, foi responsável pela Divisão Tecnológica da Universidade Jean Piaget de Cabo Verde, período em que coordenou o curso de Engenharia de Sistemas e Informática.

Atualmente, é docente e investigador na Universidade Jean Piaget de Cabo Verde com a categoria de Professor Auxiliar.

Na mesma universidade, Barreto da Rosa acumula essas funções com as de diretor do Laboratório de Educação Digital e da Unidade de Ciência e Tecnologia.

É ainda coordenador da Academia Regional da Cisco, Administrador da Microsoft IT Academy e responsável pelo Testing Center PearsonVUE.

Na sua 43.ª reunião ordinária de julho de 2013, a Comissão da CEDEAO decidiu alargar de sete para 15 o número de comissários, tendo a Guiné-Bissau ficado com a pasta da Gestão dos Recursos Humanos.

Na ocasião, o primeiro-ministro cabo-verdiano, José Maria Neves, congratulou-se com a pasta atribuída a Cabo Verde, uma vez que veio ao encontro da estratégia de transformação das ilhas do Governo, o que poderá funcionar como uma alavanca impulsionadora da efetivação do “Cluster TIC” em Cabo Verde.

Novas portas poderão abrir-se, referiu Neves, não só para a expansão do Núcleo Operacional para a Sociedade de Informação (NOSI), mas sobretudo para as empresas cabo-verdianas procederem à internacionalização, penetrando no mercado da CEDEAO, de quase 500 milhões de habitantes.

A Comissão da CEDEAO será presidida pelo Burkina Faso, enquanto a Libéria assume a vice-presidência.

A Serra Leoa ficou com a pasta das Finanças, o Mali com a da Política Macroeconómica e Investigação, o Níger com a do Comércio, Alfândegas e Livre Circulação, o Togo com a da Agricultura, Ambiente e Recursos Hídricos, a Gâmbia com a das Infraestruturas e a Nigéria com a dos Assuntos Políticos, Paz e Segurança.

O Senegal ficou com a dos Assuntos Sociais e Género, a Guiné-Conacri a da Energia e Minas, o Gana com a Administração Geral e Conferências, o Benim a da Educação, Ciência e Cultura e a Costa do Marfim a da Indústria e Promoção do Setor Privado

 

JSD // ARA – Lusa/Fim

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar