Praia, 11 mai (Lusa) – O Instituto Internacional de Língua Portuguesa (IILP) instou hoje a Guiné Equatorial a uma maior participação e ação para consolidar o uso da língua portuguesa, assinalando a sua ausência da reunião do conselho científico da organização.

No comunicado final da reunião do conselho científico do IILP, que se realizou entre segunda-feira e hoje, na cidade da Praia, Cabo Verde, os participantes assinalaram as ausências da Guiné-Bissau, de São Tomé e Príncipe e “sobretudo da Guiné Equatorial”, que instaram “a uma maior participação e ação com vista à consolidação do uso da língua portuguesa para a sua efetiva integração na Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP)”.

A reunião, que foi presidida por Raúl Calane da Silva, presidente do Conselho Científico (CC) do IILP, contou com a participação das Comissões Nacionais de Língua (CN) do Brasil, Cabo Verde, Moçambique, Portugal e Timor-Leste, enquanto a de Angola se fez representar pela missão diplomática na capital cabo-verdiana.

A reunião contou ainda com a presença da diretora executiva do IILP, Marisa Mendonça, e na abertura, estiveram presentes o secretário executivo da CPLP, Murade Murargy, e o ministro da Cultura e Indústrias Criativas de Cabo Verde, Abraão Vicente.

O encontro serviu para preparar a III Conferência Internacional sobre o Futuro da Língua Portuguesa no Sistema Mundial, que terá lugar, entre os dias 15 e 17 de junho, em Díli, Timor-Leste.

Foi aprovada a criação de um Conselho Internacional de Especialistas para o acompanhamento e atualização do Vocabulário Ortográfico Comum (VOC) e o documento sobre “Sistematização das Regras de Escrita do Português para Aplicação do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, de 1990, no âmbito do Vocabulário Ortográfico Comum da Língua Portuguesa”;

O documento final da reunião sublinha também a importância dos Estados-Membros dotarem o IILP de meios humanos e financeiros para o cumprimento da sua missão e da sensibilização dos governos para a “urgente ratificação dos Estatutos do IILP aprovados na XV Reunião Ordinária do Conselho de Ministros realizada em Luanda a 22 de julho de 2010, cuja aplicação permitirá um melhor funcionamento”.

Recomenda ainda que o IILP se associe a outras instituições para o desenvolvimento de projetos e que sejam desenvolvidas diligências para retomar a publicação regular da revista Platô.

Foram ainda aprovados os planos de atividades e orçamento para o ano de 2017 e renovados, por dois anos, os mandatos do presidente do Conselho Científico e da diretora executiva do instituto.

A próxima reunião do conselho científico do IILP realiza-se em maio de 2017.

O IILP é uma instituição da Comunidade dos Países da Língua Portuguesa (CPLP) para gestão comum da língua portuguesa.

Com sede na cidade da Praia, ilha de Santiago, Cabo Verde, o instituto conta com uma Direção Executiva e um Conselho Científico com caráter rotativo, permitindo que todos os países ocupem estes cargos.

CFF // EL – Lusa/Fim

 

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar