“Queremos incentivar a leitura, mas incentivar a leitura é também incentivar a escrita”, disse à Lusa a presidente do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, Ana Paula Laborinho, a propósito do concurso que será lançado no âmbito do protocolo de incentivo à leitura em português pelas comunidades na diáspora.

O concurso, que avança já no próximo ano letivo, destinado aos alunos de língua portuguesa nas escolas pertencentes à rede externa do instituto e, de uma forma geral, a todos os falantes de língua portuguesa, será diferenciado consoante as idades dos participantes.

Para os mais novos, o concurso de incentivo à escrita vai passar pela resposta a perguntas relacionadas com os livros que integram o Plano Nacional de Leitura (PNL) dirigidos à sua faixa etária.

Para os participantes a partir dos 14-15 anos, ainda que o modelo não esteja completamente fechado, será pedido um texto, em prosa ou poesia, subordinado a temas extraídos dos livros do PNL enquadrados na sua faixa etária, que podem ir dos autores clássicos aos mais recentes.

Para todos, o principal prémio, adiantou a presidente do Camões, será a oferta de livros, numa altura em que o Instituto está a distribuir cerca de 600 bibliotecas pela rede externa.

“Pretendemos levar este plano com características próprias a um público com ligações particulares a Portugal”, afirmou Ana Paula Laborinho.

De acordo com o comunicado divulgado pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, o protocolo de cooperação tem como objetivo a “realização de iniciativas e programas destinados a promover o acesso ao livro e à leitura no estrangeiro”.

No âmbito deste protocolo, o Camões “desenvolverá iniciativas locais de promoção da expressão em língua portuguesa (leitura e escrita), orientadas para serviço público e procurará também dinamizar a colaboração contínua de entidades e/ou indivíduos que testemunhem as suas vivências nos países onde estão radicados, nos planos cultural, social e linguístico”.

Uma das iniciativas previstas, avançou Ana Paula Laborinho, é a organização de conferências que contem com a presença de escritores de língua portuguesa.

O protocolo será assinado na sede do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua pela sua presidente, Ana Paula Laborinho, e pelo comissário do Plana Nacional de Leitura, Fernando Pinto do Amaral, na presença do secretário de Estado das Comunidades Portugueses, José Cesário.

IMA // HB – Lusa/fim

Foto: Crianças observam a maleta pedagógica que leva a leitura onde faltam bibliotecas, na sala de aula da Escola Artur Mirandela, Bragança, 19 de Outubro de 2008. IVO PIRES/LUSA

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar