No espaço, a sala de aula tradicional, com quadro-negro, cadeiras e um professor à frente de dezenas de alunos, dá lugar para ambientes diferenciados e instigantes, com a tecnologia no centro do aprendizado.
Nas classes com um número reduzido de crianças e nos ateliês de artes, os alunos usam iPads conectados à Internet para aprender diferentes assuntos. A escola experimental foi criada a partir dos conceitos desenvolvidos por Jobs, que morreu em 2011. 
Outra mudança de formato no novo modelo de escola é a divisão por idades. O grupo “Educação para uma nova era”, responsável pelo projeto, defende que as crianças sejam divididas em dois grupos etários: 4 a 7 anos e 8 a 12 anos. 
As atividades coletivas acontecem entre as 11h e as 15h, horários em que os alunos devem estar presentes no colégio. Fora desse turno, é o próprio estudante que define, com o professor, sua tabela horária.
Os aplicativos utilizados no iPad pelas crianças registram os avanços conquistados e estão disponíveis para avaliação dos pais e professores, podendo ser substituídos se não apresentarem os resultados esperados. Outro uso da ferramenta é para a criação, seja por meio de vídeos, áudios, fotos, animações.
Inicialmente, 11 escolas ensinarão sob os preceitos da “educação da nova era”. As demais abrem as portas ainda este ano, em diversas partes da Holanda.

FONTE: WebAula

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar