6 March 2021
A data (21 de fevereiro de 2014), reconhecida formalmente pela Assembleia Geral das Nações Unidas, é comemorada desde Fevereiro de 2000 com o objectivo de promover a diversidade linguística e cultural e o plurilinguismo.

Hoje é Dia Internacional da Língua Materna

Esta comemoração impulsionou, assim, os esforços dessa organização internacional para proteger as quase seis mil diferentes línguas existentes no mundo e, ao mesmo tempo, preservar a diversidade cultural.

O Conselho Geral, órgão supremo da UNESCO, reconheceu o papel que tem a língua materna, não só no desenvolvimento da criatividade, da capacidade de comunicação e na elaboração de conceitos, como também no facto de que as línguas maternas constituem o primeiro vector da identidade cultural.

Por ocasião da data, a UNESCO considera, em mensagem, que o Dia Internacional da Língua Materna é uma oportunidade ideal para destacar a importância das línguas para a identidade individual ou de um grupo, como fundação de toda vida social, económica e cultural.

“O multilinguismo é uma fonte de força e oportunidade para a humanidade. Ele incorpora nossa diversidade cultural e incentiva o intercâmbio de opiniões, a renovação de ideias e a ampliação de nossa capacidade de imaginar. O diálogo genuíno implica respeito pelas línguas, e é por isso que a UNESCO busca utilizar seu poder de nutrir o entendimento mútuo”, lê-se na mensagem.

Encoraja o ensino na língua materna, o que facilita a luta contra o analfabetismo e contribui com a qualidade da educação. A protecção das línguas também garante a salvaguarda e a transmissão de conhecimento indígena e raro. Ler o artigo completo

 

Em 21 de fevereiro festeja-se o Dia Internacional da Língua Materna, instituído pela UNESCO em 17 de novembro de 1999. Em 2014, a celebração centra-se no reconhecimento de todas as línguas e no respeito por elas em todas as esferas do conhecimento, incluindo a educação e as ciências.

A diretora-geral da referida organização,  Irina Bokova, assinala o significado desta data numa mensagem, também traduzida para esperanto, língua que, não sendo materna, também se associa às comemorações.

Segue-se o texto em esperanto, com uma introdução de Miguel Faria de Bastos, estudioso de interlinguística, e seguida da tradução em português. Ler o artigo completo.

 

Também poderá gostar

Sem comentários