O ministro brasileiro da Cultura, Juca Ferreira, informou hoje que foi grande a satisfação em comunicar o nome da vencedora do Prémio Camões, a escritora portuguesa Hélia Correa, e a sexta mulher distinguida nas 27 edições do galardão.

O ministro brasileiro comunicou o resultado por telefone, ao secretário de Estado da Cultura do Governo português, Jorge Manuel Barreto Xavier.

A primeira mulher a receber o prémio foi a brasileira Raquel de Queiroz, em 1993, seguindo-se as portuguesas Sophia de Mello Breyner Andresen, em 1999, Maria Velho da Costa, em 2002, e Agustina Bessa-Luís, em 2004, que antecedeu a brasileira Lígia Fagundes Teles, em 2005.

“[O Prémio] mostra a relevância e a diversidade da literatura portuguesa”, disse Ferreira, citado em nota divulgada pelo Ministério da Cultura do Brasil.

O anúncio de Hélia Correia como vencedora do Prémio Camões 2015 foi feito hoje, no Rio de Janeiro, no Brasil, pondo fim a um período de dez anos, sem a distinção de uma escritora.

O júri considerou a obra da “escritora multifacetada, em termos de género”, “com um estilo que renova a tradição literária a partir das matrizes da Antiguidade Clássica, ao mesmo tempo que dialoga com a literatura moderna e contemporânea”, segundo o ministério brasileiro da Cultura.

“A sua escrita inspira-se no imaginário telúrico e numa espiritualidade que resulta da conciliação de crenças de diferentes culturas. A escrita é uma celebração da sabedoria antiga, que resgata um sentimento poético que se perdeu no tempo”, destaca a ata do júri.

A escolha de Hélia Correia para a 27.ª edição do Prémio Camões foi feita por unanimidade, hoje, numa reunião do júri, que contou com Rita Marnoto, professora na Universidade de Coimbra, Pedro Mexia, crítico literário e escritor, Inocência Mata, professora nas universidades de Lisboa e de Macau, e pelos escritores Affonso Romano de Sant’Anna, António Carlos Secchin e Mia Couto, vencedor da edição de 2013.

Autora de romance, novela, poesia, teatro e conto, a escritora receberá um prémio monetário de cem mil euros.

O Prémio Camões foi instituído por Portugal e pelo Brasil, em 1989, como forma de reconhecer autores “cuja obra contribua para a projecção e o reconhecimento da literatura de língua portuguesa em todo o mundo”, de acordo com a organização.

O primeiro distinguido, em 1989, foi o escritor português Miguel Torga. Em 2014, o Prémio Camões foi atribuído ao historiador e ensaísta brasileiro Alberto da Costa e Silva.

O anterior autor português a receber o Prémio Camões foi Manuel António Pina, em 2011.

FYB // MAG – Lusa/ Fim

 

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar