O grupo canadiano Rogers pôs fim ao único bloco noticiário em português apresentado no canal televisivo OMNI, disse hoje à lusa uma responsável da empresa, que justificou a decisão com uma “reorientação da programação”.

“No âmbito de uma reorientação da nossa área de negócios global e da estratégia de programação, a OMNI Televisão tomou a difícil decisão de não renovar a difusão e produção da Edição Portuguesa da Notícias da Omni”, afirmou à Lusa Charmaine Khan.

Segundo indicou, o programa deixou de ser transmitido na segunda-feira.

Na base da decisão de terminar o bloco noticiário em português, até agora apresentado de segunda a sexta-feira naquele canal de TV por cabo da Rogers, esteve a necessidade de o grupo realizar uma reorientação com vista a possibilitar “a viabilidade e competitividade num panorama de mudança nos media”, explicou.

“A reorientação do horário de programação permite-nos direcionar recursos para áreas em que devemos ter o maior impacto e flexibilidade com vista a servir as nossas audiências”, acentuou.

Na sequência do corte do telejornal português, a pequena redação em Toronto de jornalistas que o produzia foi reduzida.

Fontes da OMNI disseram à Lusa que aquela decisão foi anunciada de forma repentina na semana passada, apanhando desprevenida a equipa portuguesa, tendo metade sido obrigada a deixar a estação em poucos dias.

A Lusa tentou falar com um dos elementos que saiu, Lídia Ferreira, a ex-produtora do bloco português de notícias da OMNI, mas ainda sem sucesso.

Apesar do fim do bloco noticioso, aquela responsável da Rogers anunciou que a “OMNI TV continuará a servir e a envolver a audiências de língua portuguesa com a transmissão do programa “Canada Contacto” [programa em colaboração com a RTP – Rádio Televisão Portuguesa], telenovelas diárias e vai lançar um entusiasmante programa “magazine” semanal de 30 minutos em língua portuguesa que irá focar temas de atualidade relevantes para a comunidade”.

No que diz respeito ao programa “Canadá Contacto”, a OMNI TV continuará a produzi-lo para a RTP, assim como a transmiti-lo no canal OMNI.1, referiu a porta-voz da Rogers Broadcasting Inc..

Instado pela Lusa a comentar um previsível impacto junto da comunidade portuguesa, Martinho Silva, empresário e ex-radialista da CHIN Radio – uma das estações de rádio em Toronto com programação em português, considerou que “esta decisão tomada pela Rogers empobrece os media portugueses no Ontário e a comunidade portuguesa fica a perder muito, porque era o único noticiário televisivo com reportagens locais em português a que todos acediam sem pagar, por fazer parte do pacote básico da Rogers”.

“Para mim, esta foi uma decisão da Rogers como empresa, com o objetivo do lucro. Quer ter o máximo de rendimento. Não lhe interessa servir as comunidades”, criticou o português.

EF // VM.

Lusa/Fim

Foto: A comunidade portuguesa de Montreal, no Canadá, garantiu a colocação da bandeira portuguesa no Parque de Portugal, 19 de Abril de 2009. ELISA FONSECA/LUSA

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar