Abidjan, 28 mai 2019 (Lusa) – O Governo português vai apoiar a formação em língua portuguesa do corpo diplomático da Costa do Marfim, que tem relações próximas com vários países lusófonos, anunciou hoje o ministro dos Negócios Estrangeiro, Augusto Santos Silva.

O Instituto Camões apoiará a formação de funcionários diplomáticos da Costa do Marfim ao abrigo de um acordo assinado entre os dois governos, durante uma visita a Abidjan de Augusto Santos Silva, que começou hoje e termina quarta-feira.

No âmbito de uma Comissão Mista entre ambos os governos, Santos Silva assinou ainda dois outros acordos, na área do desporto e na área da modernização administrativa, e aproveitou para fazer uma análise da situação regional, naquela zona de África, e para acompanhar o investimento económico de empresas portuguesas.

“O apoio às ações de formação em língua portuguesa é muito importante e já vinha sendo feito em áreas específicas, como para os funcionários de instituições internacionais”, explicou o chefe da diplomacia portuguesa, em declarações telefónicas à Lusa.

“A expansão do conhecimento do português é uma das nossas prioridades”, acrescentou o ministro, referindo-se à ação formativa que o acordo hoje assinado colocará em prática, permitindo que o corpo diplomático da Costa do Marfim nos diferentes países de língua oficial portuguesa tenha melhores competências.

O Governo português está ainda a apoiar o ensino da língua nos estabelecimentos de ensino secundário, em programas que abrangem já cerca de 800 alunos em três escolas da Costa do Marfim.

Durante o primeiro dia de visita à Costa do Marfim, Santos Silva assinou ainda um acordo na área do desporto e outro na área das parcerias governamentais.

O ministro destacou a parceria na modernização administrativa, em que o Governo da Costa do Marfim aproveitará para adaptar o modelo das Lojas do Cidadão naquele país africano.

A ministra da Modernização Administrativa de Portugal já tinha recebido em Lisboa a sua homóloga da Costa do Marfim, que se mostrou interessada em desenvolver um projeto semelhante à experiência da Loja do Cidadão no seu país.

Hoje, Santos Silva assinou um acordo em que Portugal se torna parceiro dessa experiência administrativa.

Santos Silva, que se fez acompanhar do secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, aproveitou o encontro com responsáveis do Governo da Costa do Marfim para analisar a situação na África Central, olhando em particular para as delicadas situações no Mali e no Níger.

O ministro teve ainda a oportunidade de avaliar o investimento das empresas portuguesas na Costa do Marfim, destacando o caso de uma empresa – Mota Engil – que recentemente foi escolhida para gerir 2/3 do negócio da recolha do lixo em Abidjan, a maior cidade do país, com seis milhões de habitantes.

“Esse projeto mostra bem a importância das empresas portuguesas nesta região”, assinalou Santos Silva.

“Este é um projeto que muito beneficia a economia da Costa do Marfim”, disse o ministro, realçando o facto de aquela empresa ter criado três mil novos postos de trabalho e apenas 85 serem ocupados por portugueses.

RJP // FPA – Lusa/Fim
Partilhar