Lisboa, 08 jan (Lusa) – A Fundação Luso-Brasileira saudou hoje “a recente oficialização do Acordo Ortográfico de 1990 no Brasil”, considerando que tal “constitui um importante marco na aproximação da língua e cultura dos povos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)”.

“A Fundação Luso-Brasileira considera este momento histórico para o estreitar dos laços de Lusofonia que unem Portugal e o Brasil. A partilha da mesma Língua e grafia constitui uma demonstração uníssona da coesão e da solidez das relações culturais, sociais, económicas partilhadas por estes dois países”, defendeu o presidente da instituição, Nuno Fernandes Thomaz, em comunicado.

Após um período de transição iniciado em 2009 – e que se prolongou por sete anos, mais três do que o previsto -, o Acordo Ortográfico entrou oficialmente em vigor no Brasil a 01 de janeiro deste ano, indicou a instituição não-governamental portuguesa de direito privado que tem por objetivo promover e apoiar iniciativas de caráter cultural, educativo, tecnológico e patrimonial em Portugal e nos restantes países e territórios de língua portuguesa.

Para a fundação, “esta mudança é mais um passo determinante para a uniformização da língua portuguesa que, com a aplicação do Acordo Ortográfico no Brasil, passa a contar com 215 milhões de falantes da língua portuguesa a utilizar a nova grafia”, sendo o Brasil “o grande responsável por estes números, uma vez que a sua população ronda os 204 milhões de habitantes”.

Os restantes 11 milhões representam os habitantes de Portugal (cerca de 10, 5) e de Cabo Verde (aproximadamente 500 mil).

ANC // EL – Lusa/fim

 

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar