Segundo uma nota de imprensa chegada neste domingo à Angop, no âmbito das festas dos 95 anos da cidade do Uíge, o escritor fê-lo num momento em que Angola está empenhada na valorização e promoção das suas línguas de forma mais equilibrada, com a introdução de algumas línguas de origem bantu no sistema de Ensino e o incentivo do seu uso na administração, devolvendo-lhes, assim, o direito de cidadania que lhes é inerente.

“Como todas as línguas do mundo, o Kikongo tem a sua história que não é o tema deste novo Dicionário Português-Kikongo. Língua viva, o Kikongo continua a se desenvolver e está apta para integrar termos técnicos de qualquer domínio (medicina, justiça e matemática); assim “crescem” as línguas ditas vivas”, lê-se na nota.

Francisco Narciso Cobe é médico e linguista, nasceu no Bembe, província do Uíge, a 11 de Janeiro de 1944. Frequentou a escola primária Evangélica (B.M.S.- Baptist Missionary Society) do Bembe (1952-1958) e leccionou nas Escolas rurais do Nsangi (1958-1959) e do Nkau (1959-1960).

Com uma bolsa de estudo oferecida pelas Igrejas Evangélicas Canadianas e Americanas, estudou em Sona Bata (Ciclo de orientação, 1962-1964) e Sona Mpangu (Humanidades Científicas 1964-1968), no Congo-Kinshasa, actual República Democrática do Congo.

Foi professor de Francês e de Matemática em Sona Mpangu, tendo iniciado estudos de medicina em Luluaburgo (Kananga) e na Universidade Lovanium (Kinshasa) que viria a concluir na Alemanha, nas Universidades de Giessen e de Frankfurt e ainda os estudos de Romanística com mestrado pela Universidade de Frankfurt am Main. Ler o artigo completo

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar