Malabo, 26 nov 2019 (Lusa) – O ministro das Minas e Hidrocarbonetos da Guiné Equatorial disse hoje que a realização do Fórum dos Países Exportadores de Gás em Malabo, na primeira vez que o encontro acontece em África, mostra a importância do continente.

“O Fórum dos Países Exportadores de Gás (FPEG) realiza-se pela primeira vez em solo africano, mostrando a crescente importância do nosso continente para a cadeia global de valor”, disse Gabriel Mbaga Obiang Lima, na sessão de abertura do encontro, que decorre até sexta-feira na capital da Guiné Equatorial.

O governante, citado num comunicado da organização do evento, acrescentou: “Esta cimeira e os seminários são importantes para guiar as nações africanas na transição para uma economia baseada no gás, e só através destas discussões poderemos continuar a crescer enquanto indústria”.

O quinto FPEG realiza-se até ao final da semana em Malabo, com a presença de vários chefes de Estado, entre eles os Presidentes de Angola e da Guiné Equatorial, além dos ministros com o pelouro da energia de vários países africanos, como Nigéria, Argélia ou Líbia, e de outras geografias, como Omã, Venezuela, Irão ou Noruega.

Metade dos membros do fórum são africanos, sendo Angola o último país a juntar-se a este grupo, no final de 2018.

“Para estes países, o gás representa não apenas uma exportação chave, mas também um recurso com o potencial de transformar profundamente as indústrias locais e as economias”, lê-se na nota de lançamento do encontro.

O gás natural tornou-se central para os países africanos num contexto de transição energética para fontes mais limpas e mais sustentáveis, acrescenta-se no texto.

“O desenvolvimento de uma cadeia de valor robusta pode não só ajudar a resolver os problemas de falta de eletricidade em África, mas também trazer energia para as indústrias de produção artesanal e ‘start-ups’ um pouco por todo o continente”, refere a mesma nota.

MBA // LFS – Lusa/Fim
close
Subscreva as nossas informações
Partilhar