O programa de formação prolonga-se por um ano com cinco meses dedicados à aprendizagem de técnicas de interpretação simultânea e consecutiva ministrada pelos técnicos da Direção Geral de Interpretação da Comissão Europeia, dos quais dois meses e meio em formação direta em Bruxelas e Lisboa.

De acordo com uma nota da Direção dos Serviços de Administração e Função Pública, que assinou o documento em nome de Macau, a cooperação visa uma “maior e melhor qualificação dos profissionais de interpretação-tradução, reforçando a respetiva capacidade técnica, no intuito de melhorar a qualidade de prestação desse serviço”.

Por outro lado, pretende ainda transformar a Região Administrativa Especial de Macau “mais competitiva no papel decisor que tem na relação entre a República Popular da China e os países de língua oficial portuguesa”.

A cooperação bilateral entre Macau e a Comissão Europeia data, neste capítulo de formação de intérpretes, de 2005 procurando a formação de mais intérpretes tradutores locais.

 

JCS // VM.

Lusa/Fim

Foto: LUSA – peça de teatro “Maior”, 06-12-2011. ANDRE KOSTERS/LUSA

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar