“Só tenho a lamentar o fecho de uma janela importante como é a Voz da Alemanha”, afirmou Delfim da Silva, ministro dos negócios estrangeiros demissionário do Governo de transição guineense.

Para aquele responsável, a difusão da língua portuguesa e a troca de notícias entre os países lusófonos vai se ressentir caso se concretize o encerramento do serviço português da Voz da Alemanha.

Embora reconheça ser uma “decisão soberana” no âmbito dos interesses geoestratégicos da Alemanha, Delfim da Silva, apela para a ponderação dos responsáveis da Voz da Alemanha.

“Eu particularmente gosto da forma suave como fazem a sua programação, mas repito, é uma decisão que só podemos lamentar se vier a ser realidade”, precisou o ministro dos Negócios Estrangeiros.

MB // APN – Lusa/Fim

Foto.  O radio a pilhas é um instrumento de democratização num país como a Guine-Bissau.  RICARDO BORDALO/LUSA

Partilhar