Macau, China, 21 jan (Lusa) – O Festival Literário de Macau homenageará este ano o poeta português Camilo Pessanha, no 90.º aniversário da sua morte, em Macau, e contará com a participação de Pacheco Pereira, Pedro Mexia e Rui Zink, anunciou hoje a organização.

A quinta edição do Festival Literário de Macau – Rota das Letras decorrerá de 05 a 19 de março e vai homenagear também o escritor chinês Tang Xianzu, que morreu há 400 anos e que partilha com Camilo Pessanha “uma forte ligação a Macau”, como destaca a organização, na nota informativa que hoje divulgou.

Incluidos na homenagem a Camilo Pessanha, que viveu e morreu em Macau, estarão no território “académicos de renome que se especializaram” na obra do poeta português, como o brasileiro Paulo Franchetti, Daniel Pires e Pedro Barreiros.

Quanto a Tang Xianzu, “um dos dramaturgos mais aclamados da dinastia Ming”, visitou Macau em 1591, onde contactou com os portugueses que se tinham estabelecido recentemente em Macau, destacou hoje o diretor do festival, Ricardo Pinto, numa conferência de imprensa.

O Festival Literário de Macau, fundado pelo jornal local Ponto Final em 2012, assume-se como “o primeiro grande encontro de literatos” da China e dos países lusófonos, linha que se mantém na edição de 2015.

No entanto, este ano, o festival tem “maior abertura internacional”, contando com a presença de escritores da Irlanda, Austrália, Espanha, País de Gales, suécia, Filipinas, Estados Unidos da América e Taiwan.

Junot Díaz, dominicano e norte-americano, vencedor do prémio Pulitzer com a obra “A Breve e Assombrosa Vida de Oscar Wao”, de 2008, é um dos autores que estará em Macau para participar no festival.

Portugal estará representando pelo escritor e historiador José Pacheco Pereira, pelo poeta e crítico literário Pedro Mexia e pelo escritor Rui Zink, entre outros.

Do Brasil, destaque para as presenças de Luiz Ruffato e Marcelino Freire.

Por outro lado, pela primeira vez, um autor da Guiné-Bissau vai estar no festival literário de Macau. Trata-se de Ernesto Dabó, o poeta e músico que esteve na génese da música moderna guineense nos anos de 1970.

Do lado da China, Chan Koonchung e Zheng Yuanjie são alguns dos autores que vão passar por Macau nos 15 dias do festival, que, no total, conta este ano com 40 convidados.

A lista dos autores locais inclui Mu Xinxin, Un Sio San, Mark O’Neill e Carlos Morais José.

Todos os autores são este ano, de novo, convidados a escrever sobre Macau e os textos serão integrados numa compilação a publicar na próxima edição do festival, seguindo aquilo que aconteceu nos anos anteriores.

Também à semelhança de edições anteriores, o festival inclui secções de outras artes, entre elas, cinema e concertos musicais.

O cineasta Luís Filipe Rocha e a documentarista Sofia Marques são dois portugueses que irão a Macau exibir alguns dos seus trabalhos neste âmbito.

Luís Filipe Rocha adaptou ao cinema o livro “Amor e dedinhos de pés”, do escritor de Macau Henrique Senna Fernandes.

MP // ARA – Lusa/Fim
close
Subscreva as nossas informações
Partilhar