A iniciativa foi do magazine cultural online Berlinda, e “a adesão ao festival está a superar todas as expetativas”, disse hoje a respetiva editora, a portuguesa Inês Thomas de Almeida, ao divulgar a versão final do programa.

“Estamos radiantes por poder colocar em palco uma tal diversidade de eventos em português, ao longo de um mês inteiro, numa das cidades mais emblemáticas do panorama cultural mundial”, referiu Inês Thomas de Almeida à Lusa.

“Queremos que o público alemão tome consciência da enorme riqueza que representa esta diversidade cultural”, acrescentou a fundadora do site Berlinda.

Entre as novidades do festival estará o lançamento de uma edição bilingue, em alemão e português, do novo romance do escritor angolano Ondjaki.

Na área da literatura, o Festival Berlidna contará ainda com a presença do angolano José Eduardo Agualusa, dos brasileiros Marcelo Ferroni e Luiz Ruffato e do português Pedro Sena-Lino.

Marta Lança, fundadora do Portal BUALA de cultura contemporânea africana, participará também num debate subordinado ao tema “Literaturas lusófonas no contexto global: unidade na diversidade?”.

N área da música, além do concerto dos Madredeus, em digressão internacional para comemorar 25 anos de existência, que será o prelúdio do festival, destaque para o concerto de Aline Frazão, que apresentará em Berlim o seu álbum “Clave Bantu”.

A primeira parte do concerto da grande revelação da música angolana será confiada ao cabo-verdiano Dino D’ Santiago.

Na abertura oficial do festival, a 17 de outubro, os pianistas portugueses Eduardo Jordão e João Vasco darão um concerto a quatro mãos intitulado “20 Fingers – de Mozart a Chico Buarque”, que incluirá também espetáculo multimédia.

Na área do cinema, será exibido em estreia europeia “Virgem Margarida”, do moçambicano Licínio de Azevedo, e o público poderá ver também, com legendagem em alemão, “Viagem a Portugal”, de Sérgio Tréfaut, “As Duas Faces da Guerra”, de Diana Andringa e Flora Gomes, e “Oxalá Cresçam Pitangas”, de Ondjaki e Kiluanje Liberdade.

No campo das artes visuais, o Festival Berlinda contará com a pintora angolana Manuela Sambo e o artista plástico moçambicano Pedro Boese, que apresentará a sua obra em mostra intitulada “Diálogos”, e incluirá uma exposição intitulada “Olhares sobre Berlim”, com trabalhos de fotógrafos lusófonos residentes na capital alemã.

O festival promove o Neukolln Art Festival, fim de semana com exposições e atuações no bairro multicultural de Neukolln de jovens artistas de língua portuguesa estabelecidos em Berlim: Ana Rita Manuel, André Catarino, Jorge Lopes, Márcio Carvalho, Nuno Franco, Ricardo Brito e Marisa Benjamim.

No meio da vasta mostra cultural, haverá também lugar para os “Diálogos económicos”, fórum com participação de empresas portuguesas e alemãs, em parceria com a AICEP/Embaixada de Portugal em Berlim.

 

FA.

Lusa/Fim

 

Foto: Festival Berlinda

Partilhar