1 March 2021
Dicionários de Língua Portuguesa têm sido o principal "chamariz" de muitos cubanos ao pavilhão de Angola, na 22ª Feira Internacional do Livro de Cuba, este ano dedicada àquele país africano.

Feira do Livro em Cuba, dedicada este ano a Angola

A 22ª Feira Internacional do Livro de Cuba, aberta desde o passado dia 14 e que encerra domingo, conta com a participação de intelectuais e autores angolanos e é dedicada pela primeira vez a um país africano, no caso Angola.

Angola tem em exposição no seu pavilhão livros, discos e outras obras de arte, mas o que os visitantes e feirantes “procuram insistentemente” é por um dicionário de português, segundo os enviados especiais da agência Angop.

A cubana Miobis Guerra justificou a procura por um dicionário com o facto de querer aprender a língua.

“A Feira do Livro é muito importante para nós, porque todos nos interessamos por livros. Eu, particularmente, estou interessada por um dicionário português, pois gostaria de estudar essa língua”, frisou.

“Gostaria de conhecer Angola e por isso estou a fazer um curso de português. Queria aperfeiçoar o meu português, porque esse curso é pouco profundo na sua abordagem. Tem apenas um ano de duração, mas só agora eu comecei a formação”, acrescentou aquela visitante.

Angola e Cuba mantêm laços de amizade e de cooperação desde o período pós colonial, em 1975, quando ao lado do Governo angolano, Havana ajudou com o envio de um contingente militar a combater as tropas da UNITA, por sua vez apoiadas pelos sul-africanos.

Os dois países cooperam em várias áreas, com destaque para a educação e saúde, através do envio de especialistas cubanos ao país e da formação de quadros angolanos em Cuba, por via de bolsas de estudo.

Para este ano, está prevista a vinda a Angola de 31 professores cubanos para prestar assistência técnica em institutos médios de saúde, tendo a embaixadora de Cuba em Angola, Gisela Rivera, anunciado quarta-feira, à saída de uma audiência com o vice-presidente angolano, Manuel Vicente, a colocação de alguns no Instituto Médio de Saúde do Cunene.

Atualmente, Angola acolhe nos setores da saúde, educação e construção civil cerca de quatro mil cubanos, entre os quais 185 estão destacados na província do Cunene, no sul de Angola.

NME // PJA

Lusa/Fim

Foto: LUSA – Feira do Livro em Havana, Cuba, 03 de julho de 2009. EPA/Alejandro Ernesto

 

Foto LUSA: 21ª Feira do Livro em Havana, Cuba, 10 February 2012.  EPA/Str

Também poderá gostar

Sem comentários