A segunda edição do festival literário terá lugar entre 10 e 16 de março e, à semelhança do ano passado, incluirá “conferências e debates, bem como uma feira do livro, exposições de artes plásticas, concertos e projeção de filmes”, refere um comunicado.

De acordo com a organização, o festival leva este ano a Macau vários autores da literatura chinesa contemporânea como Bi Feiyu, vencedor de vários prémios literários no país e do Asian Man Booker Prize, Hang Shaogong, autor de “A Dictionary of Maqiao” e tradutor de livros de Fernando Pessoa, Hong Ying, uma das autoras chinesas mais reconhecidas internacionalmente; e Yi Sha, um nome controverso na poesia chinesa contemporânea.

Além destes estarão também presentes outros escritores da atualidade como Sheng Keyi, Qiu Huadong, Pan Wei, Wang Gan, Haung Lihai, Li Shao Jun e a poetisa taiwanesa Xi Murong.

Do espaço da lusofonia, estarão também em Macau Ricardo Araújo Pereira, a escritora e jornalista Alexandra Lucas Coelho, o jornalista e tradutor Carlos Vaz Marques, Bárbara Bulhosa e a romancista Deana Barroqueiro, esta presença com o apoio da Casa de Portugal, refere uma nota dos organizadores.

De Angola estará presente José Eduardo Agualusa, de Timor-Leste Luís Cardoso, do Brasil o poeta Regis Bonvicino e o diretor-geral da Festa Literária Internacional de Paraty, Mauro Munhoz.

Ainda do Brasil, marcam presença Paloma e Cecília Amado, filha e neta de Jorge Amado, que morreu em 2001 e que será um autor homenageado no festival, que inclui a exibição de um documentário e um filme de ficção sobre a sua vida e um dos seus livros.

Macau estará representado pela poetisa Fernanda Dias e pelos escritores Tong Mui Siu, Chek In, Lou Mou e Wong Man Fai.

De acordo com a organização, um dos pontos altos do festival será o lançamento do livro de contos sobre Macau com textos do público que foi convidado, tal como os participantes da primeira edição, a escrever sobre a cidade, tendo sido selecionados alguns trabalhos para transpor para um livro com vários autores.

No campo do cinema, serão também várias as presenças e exibições de filmes com destaque para o filme “A Última Vez Que Vi Macau”, dos cineastas João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, “Journey to the South” do realizador chinês Wiseman Wang e que conta a história de um camionista atravessa a China em direção a sul e à província de Guangdong – adjacente a Macau e Hong Kong -, tentando arranjar dinheiro para solucionar problemas familiares.

Ivo Ferreira, um realizador português agora residente em Macau, também dará a conhecer “Na Escama do Dragão”, o seu novo filme.

Na música, o fado será cantado por Camané, contando ainda o festival com Dead Combo, considerado um dos projetos musicais de maior destaque em Portugal.

Organizado pelo Jornal Ponto Final, “Rota das letras” tem este ano o apoio de várias entidades públicas como a Fundação Macau e o Instituto Cultural que coorganizam o evento.

JCS/FV // VM.

Lusa/Fim

Foto: Cerimónia enquadrada nas festividades “Ching Ming”, 05/04/2001, EPA PHOTO/LUSA LIM CHOI