Bolonha, 05 abr (Lusa) – A escritora portuguesa Maria Teresa Maia Gonzalez é candidata ao prémio literário sueco Astrid Lindgren (ALMA) 2016, que distingue a literatura e ilustração para a infância, a promoção da leitura e que é atribuído hoje em Bolonha.

A lista de nomeados foi divulgada em outubro, na Feira do Livro de Frankfurt, e dela faz parte a escritora Maria Teresa Maia Gonzalez, que se dedica à literatura para a infância desde finais dos anos 1980. É autora de “A lua de Joana” e co-autora de “O Clube das Chaves”, com Maria do Rosário Pedreira.

Nascida em Coimbra, em 1958, Maria Teresa Maia Gonzalez já publicou mais de uma centena de livros direcionados sobretudo para crianças e jovens, em coleções como “Profissão: Adolescente”, “Um palco na escola” e “Zoomanias”.

“A sua obra valoriza princípios próximos aos que orientam o prémio e que regeram Astrid Lindgren: o realismo do quotidiano de crianças e jovens que é essencial mostrar, a literatura associada à criatividade dos argumentos”, afirma a Direção-Geral do Livro, Arquivos e Bibliotecas (DGLAB), que apresenta a candidatura.

A doença e a morte, o medo, o respeito pela natureza e a amizade são temas que atravessam os livros da autora, muitos deles incluídos no Plano Nacional de Leitura e traduzidos para cerca de uma dezena de países.

A escritora Maria Teresa Maia Gonzalez

A escritora Maria Teresa Maia Gonzalez

“A Lua de Joana” é o livro de maior sucesso da autora, tendo vendido mais de 350.000 exemplares.

A coleção “Clube das Chaves”, que conta com mais de vinte volumes, assinada com a autora Maria do Rosário Pedreira contabiliza, segundo a DGLAB, mais de 900.000 exemplares vendidos.

No universo da lusofonia, para o prémio ALMA está também nomeado o autor e ilustrador brasileiro Roger Mello, um repetente neste galardão.

A lista de nomeados é longa – tem 215 candidatos de 59 países – e inclui escritores, ilustradores, mediadores de leitura e organizações que promovem o livro e a leitura entre crianças e jovens.

Entre os autores e ilustradores, que têm obra publicada em Portugal – e alguns têm sido várias vezes nomeados -, estão, por exemplo, Beatrice Alemagna, Quentin Blake, Oliver Jeffers, Eric Carle, Jimmy Liao, Patrick Ness, Marjane Satrapi, David Wiesner e Lisbeth Zwerger.

Abuelas Contacuentos, uma organização argentina que coloca pessoas mais velhas a promoverem a leitura entre crianças e jovens, e a cooperativa italiana Giannino Stoppani e a editora indiana Tara Books também estão nomeadas.

O Astrid Lindgren Memorial Award (ALMA) é considerado o maior prémio na área do livro para a infância e juventude, no valor de 534.000 euros, e foi criado pelo governo da Suécia em honra da escritora Astrid Lindgren.

Em anos anteriores, a DGLAB apresentou candidaturas de, entre outros, os escritores Alice Vieira e António Mota, a autora promotora de leitura Margarida Botelho, a editora Planeta Tangerina, o Bibliomóvel, de Proença-a-Nova, e o projeto Palavras Andarilhas.

Em 2015, o prémio foi atribuído à organização sul-africana PRAESA, fundada depois do fim do ‘apartheid’, e que se dedica à promoção da leitura e do multilinguismo entre os mais novos.

SS // MAG – Lusa/fim
Foto LUSA: A Coroa sueca de 20 tem impressa foto da autora de literatura infantil Astrid Lindgren. 14 September 2015. EPA/FREDRIK SANDBERG SWEDEN OUT

Foto LUSA: A Coroa sueca de 20 tem impressa foto da autora de literatura infantil Astrid Lindgren. 14 September 2015. EPA/FREDRIK SANDBERG SWEDEN OUT

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar