O Colégio São Francisco de Assis, de Luanda, e a Escola Portuguesa de Moçambique, de Maputo, que se encontravam entre os 85 concorrentes, receberam duas das cinco menções honrosas atribuídas, a par de Portugal e de França.

O primeiro prémio, no valor de 1.000 euros, foi atribuído à escola básica O Leão de Arroios, de Lisboa, o segundo foi para o Externato Champagnat, de Lisboa, e o terceiro para a escola Augusto Moreno, de Bragança.

O prémio Casino da Póvoa é o prémio mais importante do Correntes d’ Escritas, havendo ainda galardões para jovens poetas, para textos sobre a Póvoa do Varzim e para o conto infantil.

O prémio Dr. Luís Rainha/Correntes d’ Escritas, destinado a contemplar uma obra cuja temática seja a Póvoa do Varzim, foi entregue a Paulo Jorge Coelho Carreira, pela obra “Póvoa de Varzim ou o Paraíso Aqui”, escolhido entre 11 obras submetidas a concurso. A obra premida recebe 1.000 euros e será publicado pela Fundação Dr. Luís Rainha.

O prémio Literário Correntes d’ Escritas/Papelarias Locus para jovens poetas com idades entre os 15 e os 18 anos, que registou 103 candidaturas, foi atribuído ao poema “Inexistência mental”, de Ana Matilde da Silva Gomes. O valor pecuniário do prémio é de 1.000 euros.

A Póvoa do Varzim acolhe, a partir de hoje e até sábado, a 14.ª edição das Correntes d’Escritas, iniciativa da câmara municipal local que reúne mais de 50 escritores.

Na sessão de abertura oficial do encontro foram anunciados os vencedores dos prémios Literário Casino da Póvoa, no valor de 20 mil euros, Correntes d’Escritas/Papelaria Locus, atribuído a autores com idade entre 15 e 18 anos, Conto Infantil Ilustrado Correntes d’Escritas/Porto Editora e Correntes d’Escritas/Fundação Dr. Luís Rainha.

À tarde, no auditório municipal, caberá ao neurocirurgião João Lobo Antunes proferir a conferência de abertura do encontro, subordinada ao tema “Não fazem mal as musas…”.

 

DP/ANC // MLL.

Lusa/fim

Foto: Helena Vasconcelos, júri do Prémio Literário Correntes d’Escritas – Casino da Póvoa, anuncia a vencedora, Hélia Correia, durante a abertura da 14.ª Edição das Correntes d’Escritas, o maior encontro de autores de expressão ibérica que começa hoje na Póvoa de Varzim, 21 de fevereiro de 2013. ESTELA SILVA / LUSA

Partilhar