2 March 2021
Um magusto de São Martinho encerrou hoje os festejos dos 13 anos da Escola Portuguesa de Moçambique (EPM), numa altura em que o estabelecimento quer melhorar os seus desempenhos.

Escola Portuguesa de Moçambique quer melhorar desempenho

“Treze anos depois, o que pretendemos é melhorar a aprendizagem dos alunos e o desempenho dos professores”, disse à Lusa Dina Trigo de Mira, diretora do estabelecimento situado em Maputo e frequentado por cerca de 1600 alunos, de 14 nacionalidades.

“Queremos também ter mais equipamento para corresponder ao grande aumento no número de alunos, que já ultrapassa a capacidade desta escola”, acrescentou a diretora da EPM.

O estabelecimento mantém parcerias com o Ministério da Educação de Moçambique, na área da formação de professores, das bibliotecas escolares e na difusão da língua portuguesa.

Ao longo da semana, exposições de artistas plásticos moçambicanos, uma feira do livro e uma sessão solene assinalaram a data, num programa de festividades, este ano inspiradas no mar.

Hoje, centenas de pessoas encheram o recinto da EPM, numa confraternização em torno de castanhas assadas e ao som de vários espetáculos musicais interpretados por alunos do estabelecimento.

 

LAS // PMC

Lusa/Fim

Foto: LUSA – Um auxiliar brinca com uma criança do ensino-pré-primário da Escola Portuguesa de Moçambique, Maputo, 1 de setembro de 2012.  António Silva/LUSA

Também poderá gostar

Sem comentários