26 February 2021
Luis Von Ahn, criador da plataforma de ensino Duolingo , conta como a ferramenta funciona, em que estado está o seu desenvolvimento no Brasil e como pretende ganhar dinheiro com o serviço.

É possível aprender línguas usando “smartphone”

Há dois anos, Von Ahn criou a plataforma de ensino de idiomas online Duolingo e tenta, agora, mostrar que é possível aprender uma nova língua usando apenas o smartphone. Gratuita, a Duolingo oferece um sistema de aprendizado que mistura conceitos de gameficação e inteligência de dados para personalizar o aprendizado dos alunos.

Em entrevista a INFO Online, Von Ahn conta como a ferramenta funciona, como está seu desenvolvimento no Brasil e como pretende ganhar dinheiro com o serviço.

Por que a Duolingo decidiu abrir uma operação no Brasil?

Luis Von Ahn – Lançamos o Duolingo em junho de 2012 e, no mesmo ano, em setembro, iniciamos o serviço para brasileiros. Uma das razões para isso é que temos uma grande demanda de tradução para o português. Parte do que os alunos aprendem é aproveitado em serviços de tradução colaborativa, então, faz todo sentido atrair brasileiros para a nossa plataforma.

Outro motivo é a expansão da economia no Brasil que, ao lado da China, deve ser um mercado de crescimento longevo. A diferença é que o Brasil é um mercado livre, e na China, o governo decide quem vence. É um risco muito grande, portanto, investir naquele país da Ásia. Por isso, investimos no Brasil.

O sistema da Duolingo é baseado somente na tradução de textos? Como acontece o aprendizado?

Luis Von Ahn – Temos aulas de conversação e escuta também. Temos um método gratuito e amplo de ensino que, em alguns momentos, envolve pedir aos alunos que traduzam trechos de textos. É neste momento que ganhamos dinheiro, com serviços de tradução colaborativa. Mas há também, evidentemente, o ensino da gramática, vocabulário e, claro, pronúncia. Na nossa interface web e aplicativo para iOS, é possível falar uma palavra para o microfone do seu dispositivo e o software te dirá se você pronunciou o termo corretamente. Ler o artigo completo.

Também poderá gostar

Sem comentários