O deputado Ribeiro e Castro (CDS-PP) considerou que a Europa é o espaço em que o português tem maior dificuldade em se afirmar como uma grande língua e Portugal não está a fazer o suficiente para reverter este quadro.

“Eu diria que, onde a língua portuguesa se depara com maiores dificuldades, adversidades e pouca capacidade de luta é na Europa. Portanto, nós os portugueses, os lusófonos europeus, não estamos a fazer o suficiente para afirmar o português como uma grande língua da Europa”, declarou à Lusa Ribeiro e Castro.

O deputado do CDS-PP fez estas declarações à margem das comemorações do Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP e do Dia Internacional da Língua Portuguesa, que decorrem hoje na sede da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Lisboa.

“Quanto às organizações internacionais, isso (a força do português como língua oficial e de comunicação) depende da pujança da sociedade civil. Infelizmente, os Estados são muito fracos, os governos são muito fracos, mesmo o nosso Governo, é fraco”, sublinhou ainda o deputado.

Para o parlamentar, “com a pujança que o português tem no mundo, em todos os continentes, o português língua das Américas, o português língua de África, o português língua do Oriente”, seria possível afirmar o português “como uma das grandes línguas da globalização”.

“E que os outros países da Europa reconheçam também que têm aqui uma ferramenta de relacionamento com os outros continentes, que é uma ferramenta preciosa”, acrescentou Ribeiro e Castro.

Na abertura do evento, o secretário executivo da CPLP, Murade Murargy, disse que é preciso “sair do discurso e partir para a ação” e que a língua portuguesa “deve ser uma prioridade governativa” dos países do bloco lusófono, pois “ainda não o é”.

“A língua portuguesa é uma das línguas mais importantes do mundo hoje em dia e uma das mais importantes da globalização”, afirmou Ribeiro e Castro.

Para o parlamentar, “na competição linguística é importante que todos os povos, todos os Estados que falam português assumam cada vez mais o valor de capital estratégico desta ferramenta”.

Durante o evento, foi lançado o livro “800 anos – O Futuro da Língua Portuguesa (uma iniciativa do Movimento 2014 – 800 anos da Língua Portuguesa e do jornal Público), que reúne textos publicados em jornais dos países lusófonos para assinalar as comemorações dos oitocentos anos do português, no dia 27 de junho de 2014.

Na cerimónia também foi lançado pelos CTT/Correios de Portugal um carimbo comemorativo dos 800 anos da Língua Portuguesa.

Foi ainda lançado o Prémio “Novos Talentos, Novas Obras em Língua Portuguesa”, que irá distinguir obras inéditas de autores dos países lusófonos, patrocinado pela União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA).

Hoje, no âmbito do Dia Internacional da Língua Portuguesa, estará também afixada nos veículos da Carris poesia de autores de língua portuguesa e voluntários irão oferecer aos clientes da Transportes de Lisboa (Carris, Metropolitano de Lisboa e Grupo Transtejo) folhetos contendo poemas de autores de língua portuguesa.

CSR // VM – Lusa/Fim

Ver vídeo