O Festival da Lusofonia em Macau vai apresentar este ano pela primeira vez uma mostra gastronómica dos países de língua portuguesa num restaurante local com a participação de chefes lusófonos. Portugal, Brasil, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Timor-Leste, São Tomé e Príncipe, a par de Goa, Damão e Diu vão dar a conhecer ao longo de dez dias as respectivas culturas coexistentes em Macau, o único local na China a acolher uma iniciativa do género pelo seu papel político-estratégico de plataforma com os países de língua portuguesa.
O Festival da Lusofonia e a Semana Cultural da China e dos Países de Língua Portuguesa enquadram-se no Plano de Acção para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e a lusofonia, salientou em conferência de imprensa a secretária-geral adjunta do Secretariado Permanente do Fórum Macau, Rita Santos.
Esse plano de acção, assinado em Novembro de 2010 na 3.ª conferência ministerial do Fórum Macau, “realça a necessidade de existir um maior intercâmbio cultural entre a China e os países de língua portuguesa e Macau tem um papel de relevo a desempenhar”, sustentou a responsável, citada pela Agência Lusa, na apresentação do cartaz do evento.
O Festival da Lusofonia conta este ano com um orçamento e programa reforçados, resultando de um investimento de 6, 85 milhões de patacas (644 mil euros) do Secretariado Permanente do Fórum Macau e de 1, 7 milhões de patacas (160 mil euros) do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais de Macau (IACM).
Alguns dos principais pontos turísticos de Macau – como o cenário arquitectónico português das Casas Museu da ilha da Taipa e o Largo do Senado – serão o palco do festival dirigido à população local e visitantes da Região e que pretende “reflectir a especificidade de Macau que é este encontro das culturas da China e dos países lusófonos”, observou Rita Santos. O cartaz alarga-se pela primeira vez ao restaurante panorâmico da Torre de Macau, onde dez chefes de cozinha vão diariamente confeccionar pratos típicos dos respectivos países de língua portuguesa. 
A organização decidiu ainda lançar as «Paradas da Lusofonia» pelas ruas da cidade para atrair mais participantes, cujo número tem aumentado anualmente, como constatou o administrador do conselho de administração do IACM, Henry Ma, apontando que só na edição de 2010 o evento contou com a participação de 15 mil pessoas.
O festival abrangerá também uma feira de artesanato com dez expositores das comunidades lusófonas locais e um da província chinesa de Jiling. Exposições da artista timorense Maria Madeira e de Manuela Jardim, da Guiné-Bissau, jogos tradicionais portugueses, torneios de matraquilhos e de futebol de 7, bem como passeios de pónei para crianças são outras das propostas do evento.
Realizado desde 1998, o Festival foi criado inicialmente como parte integrante das comemorações do Dia de Portugal e das Comunidades Portuguesas (10 de Junho), transformou-se num evento mais alargado que divulga a cultura de todos os países de língua portuguesa.

 

FONTE: Mundo Português

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar