Nas formas ‘darmos’ e ‘damos’ não se utiliza o hífen para separar a terminação da primeira pessoa do plural –mos, enquanto nas formas pronominais (‘dar-mos’, ‘darmo-nos’ e ‘dá-mos’) se deve utilizá-lo para separar o pronome ‘nos’ ou a contração dos pronomes pessoais ‘me’ e ‘os’.

Lembra-se que a forma verbal ‘darmos’ é a primeira pessoa do plural do infinitivo pessoal do verbo ‘dar’. Vejamos os seguintes exemplos: Ao darmos um contributo para o Banco Alimentar contra a Fome, estamos a ajudar o próximo. Como se pode verificar, não se deve utilizar o hífen nesta forma verbal, uma vez que se trata de um infinitivo pessoal. A confusão surge, provavelmente, devido às formas pronominais. Eis alguns exemplos que nos permitem estabelecer as diferenças: nós devemos darmo-nos sempre bem; tens os meus livros? Podes dar-mos.

As dúvidas entre a utilização de ‘dá-mos’ e damos’ têm a ver com a conjugação na forma pronominal. Assim, esta forma (‘dá-mos’) pode ser a terceira pessoa do singular do presente do indicativo ou a segunda pessoa do singular do imperativo: Atentemos nas seguintes frases, respetivamente: Ele gosta de me dar presentes. Dá-mos todos os anos. Pega nesses copos e dá-mos. Relativamente a ‘damos’, trata-se da primeira pessoa do plural do presente do indicativo: nós damos presentes no Natal aos nossos familiares.

Lúcia Vaz Pedro

Partilhar