A 31ª edição do Curso de Verão de Língua e Cultura Portuguesa da Universidade de Macau (UMAC) ficou marcada por um acréscimo significativo de alunos, por uma maior assiduidade e ausência de desistências.

A coordenadora do curso, Ana Nunes, fala em maior esforço dos estudantes e mostra-se surpreendida com a apreensão imediata que estes fazem das danças tradicionais portuguesas.

Sílvia Gonçalves (silviagoncalves.pontofinal@gmail.com)

E eles, os alunos, que chegaram de 10 países e regiões, agradecem um formato de aprendizagem que em muito excede as lições circunscritas ao contexto da universidade: “Tivemos oportunidade de ouvir alguns alunos dizerem-nos isso, que durante estas três semanas aprendem bastante.

Às vezes ainda mais – ou de uma forma diferente – do que durante um semestre inteiro nas universidades deles. Porque aqui acaba por ser tudo em português, as aulas são todas em português, as atividades são em português.

É um contexto de quase imersão. Sentem-se um bocadinho mais imersos na língua e na cultura portuguesa, aqui”, assinala a docente, que integra o Departamento de Português da UMAC. Ler o artigo completo (Ponto Final)

Partilhar