28 February 2021
O Brasil alia a sua cultura, principalmente a música e a dança, à propagação da língua portuguesa pelo mundo através de Centros Culturais Brasileiros (CCB), presentes em 21 países de América, Europa e África.

Cultura brasileira ajuda na divulgação do português pelo mundo

“Grande parte dos nossos alunos são pessoas que querem estudar no Brasil e as pessoas ligam muito a alegria brasileira à vontade de estudar em um país alegre”, comenta a coordenadora dos cursos do CCB no Chile, Helga Garrido, para quem o imaginário ligado à cultura brasileira contribuiu muito para o interesse dos estrangeiros pelo português.

Subordinados ao Chefe da Missão Diplomática ou repartição consular brasileira em cada país, os CCB oferecem paralelamente ao curso de língua portuguesa atividades de divulgação da literatura brasileira, exposições de artes e espetáculos teatrais, além de palestras, cursos e seminários sobre a geografia e a história do país.

O perfil dos estudantes, de acordo com os representantes de CCB ouvidos pela Lusa, é variado e inclui desde aqueles que pretendem frequentar uma universidade ou pós-graduação no Brasil, até os que querem apenas conhecer mais sobre o país antes de viajar em turismo.

Há ainda um mercado crescente de empresas interessadas em oferecer cursos coletivos para os funcionários locais, principalmente em filiais de empresas brasileiras no exterior.

“Hoje todas as aulas são ministradas no próprio centro, os professores não saem para atender empresas, mas acredito que a ideia será atingir esse mercado dentro de mais uns dois anos”, avança a coordenadora do Chile, onde esse tipo de parceria já teve início com a filial do Banco do Brasil em Santiago, que forneceu cursos de português para os funcionários locais.

No CCB-México, que possui hoje cerca de 150 alunos, o cenário não é diferente – o perfil dos estudantes vai desde jovens atraídos pela música brasileira “da moda” até executivos que trabalham para empresas mexicanas com filiais no Brasil ou vice-versa.

“Nossos alunos realmente estudam por alguma necessidade, seja universidade, trabalho ou alguns mais jovens que gostam do português pela música brasileira e querem aprender, por isso são todos muito empenhados. Quando tem o gosto, a pessoa sempre se destaca”, conta a professora Ivone do CCB no México.

A rede brasileira de incentivo ao ensino do português pelo mundo conta ainda com sete Institutos Culturais (IC) e 60 leitorados, que atuam de maneira “complementar” aos CCB, em parceria com universidades e instituições governamentais estrangeiras em países onde a ampliação da presença cultural brasileira é considerada prioritária.

FYRO // MLL – Lusa/fim

Fotos:

– Foto extraída de “Viajeaqui

– LUSA – Brasileiro junto ao Palácio do Planalto em Brasília. 06/12/2012. EPA/ANTONIO LACERDA

Também poderá gostar

Sem comentários