7 March 2021
Primeira portuguesa a assumir funções como Directora de um pólo universitário da Agência Universitária da Francofonia!

Cristina Robalo Cordeiro

Cristina Maria da Silva Robalo Cordeiro,  professora catedrática da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, foi nomeada Directora do Pólo Universitário da Agence Universitaire de la Francophonie para o Magrebe.

 

A sua missão irá ser exercida em 3 países: Marrocos, Tunísia e Argélia. Cerca de 90 universidades.

 

É Vice-Presidente da Mesa da Assembleia-Geral do OLP – Observatório da Língua Portuguesa.

Personalidade de reconhecido mérito, foram-lhe atribuídas as seguintes distinções:

  • Cavaleiro da Ordre des Palmes Académiques, 1993;
  • Oficial da Ordre des Palmes Académiques, 2001;
  • Prémio Internacional Richelieu Senghor de la Francophonie, 2008;
  • Oficial da Ordre du Mérite du Grand-Duché du Luxembourg, 2010;
  • Doutoramento Honoris Causa, UNIRIO, 2010;
  • Menção Honrosa do Prémio Literário Orlando Gonçalves,

é

  • membro da Comissão de Avaliadores da E.U.A. (European University Association);
  • Vice-Presidente da Associação Internacional de Lusitanistas (AIL);
  • Presidente da Associação Portuguesa de Literatura Comparada (APLC);
  • Presidente da Associação Portuguesa de Doutorados em França (APDF).

Exerce os seguintes cargos internacionais:

  • membro do Executive Board do Coimbra Group (38 universidades europeias de 22 países);
  • membro Conselheiro da CUM – Comunidade das Universidades do Mediterrâneo (159 universidades de 21 países do Mediterrâneo);
  • Coordenadora Nacional do Grupo de Tordesilhas (42 Universidades de Portugal, Espanha e Brasil);
  • Presidente do Steering Committee do SYLFF em Portugal – Sasakawa Young Leaders Fellowship Fund (69 universidades de 45 países);
  • membro do Conselho Científico de “Archives et Musée de la Littérature” de Bruxelas.

Como Directora do Pólo Universitário da Agência Universitária da Francofonia para o Magrebe, tem por missão:

  • apoiar a cooperação científica;
  • apoiar a investigação e a excelência;
  • formar futuros actores de desenvolvimento;
  • partilhar experiências.

 

Também poderá gostar

Sem comentários