28 February 2021
O primeiro Ministro de Portugal, António Costa (D) acompanhado pelo ministro Nos Negócios e Cooperação de Moçambique, Oldemiro Baloi durante a foto de família da XI Cimeira da CPLP em Brasília no Brasil, 31 outubro 2016. ANDRÉ KOSTERS / LUSA

CPLP/Cimeira: mais medidas para criação de repositório científico

Brasília, 01 nov (Lusa) – Os chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) recomendaram hoje, em Brasília, o aprofundamento das medidas para a criação do repositório científico da organização.

Numa resolução aprovada no final da XI conferência de chefes de Estado e de Governo da CPLP, é recomendando “o aprofundamento das medidas em curso com vista à concretização das ações necessárias à criação do repositório científico da CPLP pelas autoridades competentes dos Estados-membros”.

Os líderes encorajaram o processo em curso para a criação do repositório “enquanto promotor da edificação de espaços de Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação da CPLP e catalisador do desenvolvimento de repositórios e portais científicos nacionais”.

O órgão máximo da CPLP registou ainda “com satisfação, a alocação de recursos e os compromissos financeiros assumidos pelos Estados-Membros” para essa criação.

O repositório “facilitará o acesso aberto a conteúdos científicos produzidos pelas instituições científicas e académicas dos Estados-membros, a redes digitais e acervos bibliográficos de publicação científica, a teses de doutoramento e a dissertações de mestrado e a interconexão com outras redes de bases de dados de acesso aberto regionais e internacionais”.

O repositório científico da CPLP deverá estar concluído até 2020, disse à Lusa, em novembro do ano passado, Arlinda Cabral, responsável pela Educação, Ciência e Tecnologia na Direção de Ação Cultural e Língua Portuguesa do Secretariado-Executivo da comunidade.

Noutra resolução hoje aprovada, os líderes dos nove países da CPLP encorajaram o Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP), da organização, “a prosseguir os trabalhos para a criação das Terminologias Científicas e Técnicas Comuns da Língua Portuguesa”.

No documento, é incentivado “o IILP a trabalhar em conjunto com instituições e organismos dos Estados-membros responsáveis pela normalização terminológica, a fim de que possam contribuir para a elaboração dessas terminologias”.

Na 33.ª reunião dos pontos focais de cooperação da comunidade, que decorreu entre quarta e quinta-feira em Brasília, foi decidido destinar fundos de cooperação para a criação das terminologias técnico-científicas em português.

Os presentes no encontro aprovaram 34 mil euros para a primeira fase do projeto, a cargo do IILP, disse, na ocasião, à agência Lusa o diretor de cooperação da CPLP, Manuel Lapão.

A cimeira da CPLP, que decorreu entre segunda-feira e hoje em Brasília, marcou a passagem da presidência rotativa de Timor-Leste para o Brasil.

A CPLP reúne Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

ANYN // VM – Lusa/Fim

Também poderá gostar

Sem comentários