3 March 2021
Para Luís Amado, não perceber a importância da CPLP para Portugal significa "não perceber nada da história de Portugal, nem das exigências que o país tem pela frente".

CPLP é a plataforma mais importante para Portugal se afirmar

O antigo ministro dos Negócios Estrangeiros português Luís Amado considerou, hoje, que a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) “é a mais importante plataforma que Portugal tem” para se conseguir afirmar no mundo globalizado.

O ex-MNE falava à margem da sessão de abertura das Conferências de Lisboa, que decorrem hoje e quinta-feira na capital portuguesa.

“Ter a possibilidade de ter uma representação do mundo à volta de uma mesa é, sem dúvida, um privilégio muito grande, porque o mundo globalizado é aquele que exige uma ação de Portugal fora da Europa, e [a CPLP] é o espaço adequado”, disse.

Portugal, continuou Luís Amado, deixa de ser um país europeu “com influência no futuro se não for capaz de projetar poder e os seus interesses fora da Europa”

“E este é, aliás, o nosso principal capital, porque a nossa história é a história da relação com outros povos”, acentuou.

Se o desafio principal do século XXI é a globalização, “não é aceitável termos a plataforma mais adequada para promover a globalização e não a conseguirmos promover”, sublinhou.

Questionado sobre o impacto da entrada da Guiné-Equatorial como membro de pleno direito na CPLP, apesar das críticas ao regime e aos repetidos relatos de violações dos direitos humanos e políticos dos seus cidadãos, Luís Amado afirmou que “há uma dinâmica de abertura da CPLP muito grande a partir do momento em que se aceitou essa exceção [um país onde quase não se fala português], a CPLP está a atrair a atenção das potências emergentes, que vêem aqui uma plataforma para expandir os seus interesses no futuro”.

Se Portugal não perceber a importância da CPLP para o futuro, “está a cometer um erro estratégico gravíssimo, porque desvalorizar a CPLP é incompreensível à luz dos desafios do século XXI”, concluiu.

MBA // EL – Lusa/Fim


Fotos:

– O ex ministro dos Negócios Estrangeiros, Luis Amado, após o lançamento do livro do economista Vitor Bento “Euro Forte Euro Fraco – duas culturas uma moeda: um convívio (im)possível?”, na Fnac do Centro Comercial Colombo, 08 abril 2013, em Lisboa. JOSÉ SENA GOULÃO / LUSA

– Foto de família dos Chefes de Estato e de Governo Presentes na X Conferência de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), onde foi incluido o Presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang, em Díli, Timor Leste, 23 de julho de 2014. PAULO NOVAIS/LUSA

Também poderá gostar

Sem comentários