26 February 2021
Júlio Pedrosa, Departamento de Química e CICECO, Universidade de Aveiro.

Conclusões

Cumprimento os distintos membros da mesa e todas as pessoas presentes;

agradeço o convite para acompanhar a conferência e dar este contributo para tão significativo evento;

saúdo e felicito, em particular, o Senhor Embaixador Murade Murargy, Secretário Executivo da CPLP, o Senhor Embaixador Eugénio Anacoreta Correia, Coordenador da Comissão Temática de Promoção e Difusão da Língua Portuguesa e

o Senhor Professor Doutor João Guerreiro, Reitor da Universidade do Algarve, pela organização e êxito desta iniciativa.

 

Síntese e recomendações

  1. Em várias intervenções que aqui ouvimos foi salientada a relevância de mobilizar e envolver a Sociedade Civil na promoção, valorização e divulgação da Língua Portuguesa. Assim, esta conferência ilustrou bem como este objectivo e temática geram interesse entre diversificado leque de actores sociais, cujas vozes revelaram empenho em contribuir para a realização daquele importante propósito.
  2. O programa do dia e os seus intérpretes, as intervenções que ouvimos, bem como as reflexões e debates que suscitaram, sugerem que este tipo de plataforma de actores e de agenda devem ser ensaiados em futuras iniciativas desta natureza, a realizar noutros locais e contextos
  3. O universo de interlocutores da Sociedade Civil que faz sentido envolver foi sendo construído pelos contributos de vários participantes: os lugares de Educação (escolas, universidades, famílias e organizações associadas), os meios de comunicação social, as empresas e outros actores da Economia, as organizações de variada natureza com o foco na cultura, as Fundações, a AULP.
  4. Ao visar-se a promoção e divulgação da Língua Portuguesa, deve ser atribuída especial atenção aos contextos sociais e culturais em que o ensino e aprendizagem das Línguas em Português acontecem. Isto significará que a Língua, entendida como expressão da essência de um povo, como património histórico, deve ser ensinada e aprendida com especial ponderação dos contextos, e atenta escolha dos fins e das abordagens para ser ensinada e aprendida.
  5. Os múltiplos e diversificados meios de comunicação têm que ser tidos em conta naquilo que foi designado por desterritorialização e virtualização das Línguas, no ensino e aprendizagem em ambiente escolar, bem como na ponderação de normas e estatutos que enquadram o seu uso.
  6. A CPLP foi apontada como um espaço privilegiado para debate e definição de princípios, envolvendo parceiros relevantes como são as fundações as instituições de educação superior, as escolas, as empresas, as associações representativas de grupos de interessados. Note-se, neste contexto, a importância de reforçar a capacidade para aceder a arquivos e outras fontes de documentação e informação relevantes, em Língua Portuguesa.
  7. Considere-se, ainda, o interesse em identificar e registar casos exemplares de cooperação solidária em que a Língua Portuguesa foi veículo agregador de vontades e gerador de plataformas de actores da sociedade civil.

O mundo económico e dos negócios emergiu como relevantíssima plataforma para a promoção, valorização e difusão da Língua Portuguesa, identificando-se oportunidades, forças e fraquezas a considerar para se promover trabalho concertado e sustentável.

  1. A Língua Portuguesa e os seus usos em contextos que têm particular focagem na comunicação e publicação científicas merecerão adequada atenção. Se é verdade que as comunidades científicas mais prestigiadas entre pares usam o Inglês como veículo privilegiado, merecerá atenta consideração a referência feita  às recomendações da Associação de Universidades Europeias para se adoptarem outras Línguas, com incidência nos sistemas de indexação de revistas científicas.

Recomendações

  1. Usar a experiência e os resultados desta conferência para consolidar uma estratégia de sustentação deste tipo de iniciativas, em vários lugares e contextos, envolvendo e mobilizando a Sociedade Civil para o relevantíssimo propósito de promover, valorizar e divulgar a Língua Portuguesa.
  2. Estruturar uma iniciativa que vise a consolidação de uma plataforma de acesso a arquivos, documentação e informação em Língua Portuguesa relevantes para a Educação, os Estudos Eruditos e a Investigação Científica.
  3. Procurar modos de criar uma plataforma de grupos de interessados (Universidade, Fundações, Centros de Investigação, etc.) para promover e apoiar duas publicações científicas bilingues (em Português e Inglês), uma dedicada a Ciências Biológicas, Físicas, Matemáticas e Químicas, outra dedicada a Ciências Humanas e Sociais.
  4. Criar uma iniciativa de envolvimento da Sociedade Civil na estruturação de uma plataforma para a divulgação e aprendizagem da Língua em associação com a promoção da economia e dos negócios.
  5. Desenhar uma estratégia para a criação, sustentação e consolidação de plataformas para a cooperação solidária visando o desenvolvimento humano.

Também poderá gostar

Sem comentários