maio de 2014

O Trade Complementary Index (TCI) é um indicador utilizado para medir a compatibilidade do perfil comercial, através da comparação de estruturas de exportação e de importação entre países. Índices mais elevados revelam potenciais de complementaridade superiores e maior correspondência entre a estrutura de exportações/importações dos dois países. TCI nulo é sinónimo de não-complementaridade.

TCI da CPLP e Macau

A intensificação das trocas comerciais exige complementaridade industrial das economias, implicando níveis de especialização diferenciada entre parceiros.
O nível de complementaridade comercial das economias da CPLP e da ERA de Macau é baixo, excetuando-se apenas o relacionamento entre Portugal e Angola. Porém, apenas 2,9% das exportações dos países da CPLP têm outro país da CPLP como destino, sendo que o seu peso relativo tem vindo a reduzir-se desde 2008.
Estima-se que 35,8% das exportações da CPLP têm como destino Portugal. Com efeito, Portugal apresenta-se como o país mais aberto e complementar das diversas economias da CPLP e poderá potenciar-se como hub comercial da CPLP, assumindo um papel fundamental de porta de entrada na região.

Fonte: AIP

maio de 2017

Lisboa, 17 mai (Lusa) – O saldo da balança comercial de Portugal com os restantes países lusófonos melhorou para 436,5 milhões no primeiro trimestre deste ano, quase quintuplicando face aos 91,4 milhões de janeiro a março de 2016.

Exportações e importações para países da CPLPDe acordo com os cálculos da Lusa baseados nos dados do Instituto Nacional de Estatística, a balança comercial positiva para Portugal passou de 91,4 milhões de euros no primeiro trimestre de 2016, para 436,5 milhões no mesmo período deste ano, o que representa uma subida de 377%.

A forte melhoria explica-se essencialmente pelo aumento do valor das exportações, que subiram 30%, em conjugação com a diminuição das importações, que tiveram uma redução de 33% e que, nalguns casos, como Angola ou Moçambique, desceram perto de 70%.

A nível global, as exportações e as importações aumentaram 17,1% e 15,3% respetivamente no primeiro trimestre deste ano, face a igual período do ano passado, tendo o défice comercial diminuído em março 241 milhões de euros, segundo os dados do INE divulgados na semana passada.

No total da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), as maiores variações a nível das exportações registam-se nas vendas a Angola e Brasil, que subiram 48,3% e 45,9%, respetivamente, havendo também a sublinhar a descida de 30% nas exportações para Moçambique.

Em sentido inverso, as importações caíram 71,2% em Angola e 84,9% na Guiné-Bissau, havendo a registar duas fortíssimas subidas que, pelo reduzido valor, não influenciam os cálculos gerais.

As importações da Guiné Equatorial subiram 5380%, passando de 1,8 para quase 104 milhões de euros, enquanto as compras a São Tomé e Príncipe subiram 230,9%, aumentando de 23,9 mil euros para 79,1 mil euros.

Fonte: LUSA

 

Partilhar