4 March 2021
A Comissão Europeia e a estação de televisão internacional Euronews assinaram na passada sexta-feira um contrato em que Bruxelas assume as responsabilidades financeiras para a manutenção do serviço em língua portuguesa na estação em 2013 e 2014.

Comissão Europeia e Euronews assinam contrato que mantém serviço em português

“Posso confirmar a informação. Fui eu que assinei o contrato. O que pensamos fazer é ir no início de setembro a Lisboa para agradecer os esforços de todos os que aí ajudaram, em especial ao José Ribeiro e Castro, e dar uma conferência de imprensa em que daremos todos os detalhes”, afirmou à Lusa Michael Peters, presidente executivo da Euronews.
A Euronews informou já a RTP sobre estes desenvolvimentos, indicou o mesmo responsável. Michael Peters escusou-se a dar detalhes sobre o contrato, optando apenas por confirmar as “boas notícias”.
De acordo com Mina Andreeva, porta-voz da vice-presidente da Comissão Europeia, Viviane Reding, as linhas gerais do acordo respeitam as condições impostas por Bruxelas quando pela primeira vez se manifestou disponível para ajudar à manutenção do serviço em língua portuguesa na Euronews, em carta enviada em 23 de Fevereiro às comissões parlamentares da Educação, Ciência e Cultura e Ética, Cidadania e Comunicação.
A RTP mantém a participação de 1, 4 por cento do capital da estação internacional, e portanto assume os encargos inerentes a essa participação acionista, na ordem dos 360 mil euros por ano. Já o serviço em língua portuguesa, que custa actualmente à RTP cerca de 1, 7 milhões de euros, será assumido em 2013 e 2014 por Bruxelas.
Como a comissária europeia para a Justiça, Direitos Fundamentais e Cidadania informou então o Parlamento português em Fevereiro, Bruxelas assume-se disponível no contrato assinado na sexta-feira para financiar por dois anos – o tempo de intervenção da troika – os custos do serviço em português da Euronews.
Em contrapartida, a RTP aceita manter-se como accionista da estação internacional e Lisboa garante “a perenidade das emissões” após esse período. Ler o artigo completo

 

Artigos relacionados:

Também poderá gostar

Sem comentários