“Estou confiante que atingiremos aquela meta. É bastante fácil”, disse o ministro chinês do Comércio, Gao Hucheng, após a assinatura do referido plano.

Desde a criação do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial China-Países de Língua Portuguesa, há uma década, o comércio entre aqueles países cresceu mais de dez vezes, somando cerca de 120.000 milhões de dólares em 2012, salientou Gao Hucheng.

O “Plano de Ação 2014-16” foi aprovado na IV reunião ministerial do Fórum, que contou com a participação de mais de vinte governantes, entre os quais o primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Rui Duarte Barros, e os vice-primeiros-ministros da China e de Portugal, Wang Yang e Paulo Portas, respetivamente.

Nos próximos três anos, o fórum propõe-se “promover em conjunto o desenvolvimento económico”dos países membros e dedicar “novas energias para estudar a cooperação trilateral” envolvendo China, Brasil e Portugal, e os países africanos de língua portuguesa e Timor-Leste.

A maioria das oito medidas do plano destacada pela China, nomeadamente a concessão de empréstimos em condições favoráveis de 1.800 milhões de yuan (cerca de 225 milhões de euros), contemplam os Palop e Timor leste.

A China vai enviar 210 médicos para aqueles países durante o próximo triénio.

Ainda na área dos recursos humanos, o governo anunciou que convidará 2.000 quadros dos Palop e de Timor-Leste para ações de formação.

Cada um daqueles países contará também com o “apoio chinês” na construção de infraestruturas destinadas ao ensino, “doação de equipamento de rádio, televisão e telecomunicações” e de “um projeto de energia solar para iluminação pública”.

O governo chinês anunciou igualmente a disposição de “partilhar a sua experiencia bem-sucedida” na criação de Zonas Económicas Especiais, a vanguarda das reformas lançadas pela China no final da década de 1970, e disse que irá “incentivar” as empresas chinesas a promover idênticas iniciativas nos países membros do Forum.

O Fórum Macau “é um concentrado de oportunidades e de potencialidades”, afirmou o secretário de Estado portugues da Cooperação e Negócios Estrangeiros, Luis Campos Ferreira, um dos oito subscritores do Plano de Ação.

AC/DM/JCS // APN – Lusa/Fim

Consulte o dossiê:


Fotos LUSA:

– US Dólares e Renminbi (Yuan). 14/01/2011. EPA/MARK

– foto de uma nota de 100 yuan ou Reminbi (RMB), China, 09 de fevereiro de 2011.

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar