Lisboa, 06 nov (Lusa) – A longa-metragem “Comboio de sal e açúcar“, que se passa em Moçambique durante a Guerra Civil, recebeu o prémio de Melhor Filme num festival de cinema em Joanesburgo, na África do Sul.

De acordo com a informação avançada à Lusa pela Ukbar Filmes, uma das produtoras do filme, o principal galardão do Joburg Filme Festival foi atribuído ao filme “Comboio de sal e açúcar”, realizado pelo brasileiro Licínio Azevedo, que vive em Moçambique desde 1975.

Este filme passa-se durante guerra civil na ex-colónia portuguesa na década de 1980, acompanhando o percurso de cidadãos civis que arriscam a vida ao fazer a ligação de comboio entre Nampula, em Moçambique, e o Malawi, em linhas ferroviárias constantemente sabotadas.

De acordo com a revista norte-americana Variety, que cobriu este festival, o júri escolheu este filme por “mostrar o triunfo da resiliência do espírito humano”.

Ao receber o prémio em nome de Licínio Azevedo, o produtor Elias Ribeiro agradeceu ao público o afeto demonstrado pela película: “Sentimos este amor a semana inteira”, disse, citado pela Variety.

A primeira edição do Joburg Film Festival decorreu em Joanesburgo, na África do Sul, entre 28 de outubro e 05 de novembro.

“Comboio de sal e açúcar” estreou no Festival de Locarno, na Suíça, em agosto, no qual o filme português “O ornitólogo” conquistou o Leopardo para Melhor Realização.

IM // SO – Lusa/Fim
Partilhar